loading

_peças /

Filosofia Da Revolução / Marcelo Romagnoli

FILOSOFIA DA REVOLUÇÃO

Marcelo Romagnoli

Direitos Autorais

DIREITOS AUTORAIS

 

Este texto foi escrito especialmente para as escolas participantes do

Projeto Conexões Teatro Jovem

e fez parte do seu portfólio no ano de 2015.

Qualquer montagem fora do Projeto deverá  ser

negociada com o autor ou seus agentes sobre os direitos autorais.

 

Contato Marcelo Romangnoli:mar8ceu@gmail.com

PERSONAGENS

Só a mudança é permanente.

Heráclito

PERSONAGENS

(M) Masculino

(F) Feminino

Todos têm entre 14 e 17 anos.

  1. (M) Um herói frágil. Uma mente engajada. Muitas espinhas. Óculos pesados.

  1. (F) Aprendeu a ter fé, não sabe ainda em quê. Tem um espírito em formação.

  1. (F) Hippie. Tem ideais. Defende o amor livre. Já leu Marx (por cima).

  1. (F) É tímida, quase fria. Passa muito tempo sozinha, entre o medo e a busca.

  1. (M) Não tem nada. Fala a verdade. Pensa leve. É sensível ao mundo.

  1. (F) Cresceu de repente. Tem urgência. Descobriu cedo o sexo.

  1. (M)Acredita que suas qualidades físicas compensam suas limitações intelectuais.

  1. (M) Não tem problemas em ser gay.

Cachorro 1. Está contente com o que tem, mas duvida levemente da felicidade.

Cachorro 2. Imagina uma vida melhor. Sonha com o desconhecido.

Os figurinos de Cachorro 1 e 2 não podem deixar dúvidas sobre seu estado animal. Os cachorros podem ser representados por atores ou atrizes e a neutralidade de suas ações é importante para manter o foco no pensamento e não nos trejeitos.

Os números que titulam as cenas apresentam a ordem das falas. Assim, a cena 3.4., por exemplo, indica que a primeira fala é do personagem 3. Em cenas com mais de dois personagens a lógica é a mesma. O símbolo de multiplicação indica o número de blocos que se repetem.

Cada cena, a critério da encenação, pode ser ambientada num determinado lugar definido pela sonoplastia. Ex.: ônibus, rua, parque, banheiro, pátio da escola, etc. Ou podem - como prefere este autor - ser apresentadas secamente, com cortes abruptos de luz sem nenhum som. A única sonoplastia essencial é a que abre e fecha a última cena.

1 - 2

1 - 2

Tem que mudar tudo.

O mundo tá em ruínas.

Tá.

E por quê?

Porque ninguém acredita em nada.

Porque ninguém se junta, nem reclama.

Eu faço minha parte.

Ta vendo?

O que?

Você é o exemplo do “cada um por si”.

  1. O que vale é a pessoa.

Tem que ser em conjunto.

Quem disse?

Ir pra rua.

Gritar? No Sol?

Eles têm que saber que a gente não tá feliz.

A mudança tem que vir de dentro.

Como um arroto?

Como um suspiro.

4 - 6

4 - 6

Não fala nada.

Vai ficar mais.

Não vou segurar a escola.

Escola você pode esquecer.

Vou ouvir muito.

Mãe é um saco.

E solteira é pior.

Pausa.

Aposto que já tem fofoca.

Se eu fosse você, desaparecia.

Já pensei.

Então vai.

Pra onde?

Parece simples.

E é.

Você já conseguiu?

Não, mas é isso ou tentar ser alguém.

Eu sei.

Pausa.

E desaparecer é muito mais fácil do que tentar ser alguém.

1 -3

1 -3

Manifestação.

Contra o que?

Contra as provas.

Pensei numa passeata.

A gente vive numa prova.

Muitos cartazes.

Eles insistem em saber se a gente é capaz.

Eles quem?

É. Eles sugam nossa mente.

Querem ter certeza de que aprendemos o jeito Deles de viver.

São vampiros.

Acontece que cada um é diferente.

Até demais.

Eu nunca vou ser igual minha família. Nunca.

Mas sua família é tão legal.

E quer saber: tem que incluir as religiões.

Não combina com o assunto.

Claro que combina. Todo culto é um ritual de provação.

É outro tipo de prova.

Você defende as igrejas?

5 -7

5 -7

To agitadão, cara, ansioso.

Com o que?

Acordando com dor de cabeça.

Muita maconha.

Sabe uma sensação de se não fizer nada, nada vai acontecer?

Isso me preocupa muito.

Só penso nela.

É normal. Algumas delas tem esse dom da hipnose.

Nao entendi?

Ando bem preocupadão, mas até que tenho momentos de boa. Alguns até de boa demais. Tipo um deles foi uma putaria com ela de 8 horas com mais um cara. Armei um esquema no apê dele, locaço. Cheguei às 4 e sai fora meia noite, cara. Muita bebida, sacanagem, putaria. Sai exausto. Dormi umas 12 horas no dia seguinte. Uma coisa louca. Acho que não quero nunca mais. Teve até foto.

O que é isso?

Nunca viu? O cara do apê tinha e ela experimentou. Acho que nesse dia eu gozei umas 5 vezes e mais uma em casa e no dia seguinte eu batia, mas nao saia nada. Depois de 2 dias voltou ao normal.

Isso nunca me aconteceu.

É foda.

E voce tá reclamando do que mesmo?

Que eu queria ter um plano b pra ficar mais calmo, mas não tenho.

2 - 4

2 - 4

Eu tenho. Um quarto só meu.

Outra vida, não é?

Mas no começo tive medo.

É melhor do que dividir.

Eu ficava tão sozinha.

Adoro ficar sozinha.

Você não se sente abandonada?

Não é abandono. É escolha.

Parecia que às vezes eu ia desmaiar.

Sem ninguém eu me entendo.

Por isso você não tem amigos.

Nunca reclamei.

Se eu ficar muito tempo sozinha, penso besteira.

Tipo?

O futuro. Sei lá. Tem horas que imagino minha mãe morta.

É bom pra ir se acostumando.

Pausa.

Adianta fingir que a gente não sabe o que na verdade a gente sabe muito bem?

A gente nunca sabe tudo.

É só olhar em volta e ver como acontece.

As coisas mudam.

Não pra todos.

1-8

1-8

Seu pai é advogado?

E você vai participar?

Isso te deixa impressionado?

Sinceramente, sim.

Por quê?

Sei lá, acho que ele não vai gostar.

Ele é ele, sabia?

Deve ser. Você conhece melhor que eu.

Ele acredita naquele mundo, acha que homem é homem e mulher é mulher.

E não é?

Ele acha. Ele sabe. Ele tem a solução. Ele manda. Ele sustenta. Ele decide. Ele é ele.

Pai, né.

O macho.

O homem.

Aliás, essa manifestação tem que falar da liberdade sexual.

Mas será que combina?

Falando de uma liberdade a gente fala de todas.

Os caras vão confundir tudo e aí já viu.

Você tem medo de assumir?

Cachorros 1

Cachorros 1

C1 - E então?

C2 - Tudo na mesma.

C1 - E esse machucado no pescoço?

C2 - Consegui tirar.

C1 - Com a boca?

C2 - Foi difícil, mas logo puseram outra.

C1 - Você não vai desistir?

C2 - Nunca.

Pausa.

C1 - Não parece fácil viver sozinho pelo mundo.

C2 - Nada se compara à liberdade.

C1 - Mas o que você gostaria de fazer e não pode?

C2 - Preciso pensar.

C1 - Pensou?

C2 - Qualquer coisa é melhor do que ter dono.

C1 - Nem sempre.

C2 - Qual a vantagem?

Pausa.

C1 - Comida.

5 – 6

5 – 6

Mas você ta passando fome?

Você acha que eu merecia isso?

Merecer, merecer, não.

Sem contar as gorfadas no banheiro.

É o “grande espetáculo da vida”.

Uma nojeira.

Acho bonito.

Tá me tirando, né?

Até o papa deve gorfar.

Você vai falar com ele ou não?

Isso nem passa pela cabeça daquele tonto.

Nem na dele nem na de ninguém.

Vai ser um choque.

É divertido.

Não é brincadeira.

Mas também não é o fim do mundo.

Cara, eu posso morrer.

Foi mal.

Ou acontecer coisa pior.

3 - 7

3 - 7

Eu vou e tá resolvido.

Gosto de mulher assim, com atitude.

Ninguém manda em mim.

Bem liberal.

Você não sabe falar sério?

Só pensa bobagem.

Penso em dinheiro também. Qual o problema?

Problema nenhum. Acontece que isso é só uma parte da vida.

Você quer me dizer que não pensa em sexo?

Não disse isso.

Viu? Todo mundo pensa.

Mas se a gente não consegue controlar os instintos, então é melhor viver como um verme.

Deixa eu ser teu verme, deixa?

Nem tenta. Agora escuta. Raciocina.

Difícil, mas vamos lá.

Imagina o tamanho do universo.

Sabe quantas galáxias existem?

Umas 69?

Bilhões. E cada uma com bilhões de planetas. E cada planeta com bilhões de pessoas. E cada pessoa com bilhões de assuntos. E você aqui nesse cantinho, perdendo seu tempo comigo, achando que vou dar mole pra você ter um pouco de prazer? Acorda e me esquece. Escutou. Esquece.

Pausa.

Às vezes acho que você tomou chá de cogumelo e não voltou.

2 - 8

2 - 8

Se eu te contar uma coisa, jura que não fica bravo?

É que você é o meu amigo mais íntimo. De homem, quero dizer. Homem assim, no sentido maior.

Tá. Conta.

Esta noite tive um sonho.

Viu qual defunto?

Era uma mulher, como se fosse deus.

Deus?

Como se fosse, não dava pra ver direito, muita fumaça, ela me chamava e eu era puxada, com muita força, tipo assim de verdade. Então eu fui e ela, que eu sabia que era deus, me mostrou um abismo.

Abismo?

Um lugar escuro, eu sabia que era um abismo e lá no fundo tinha um cara amarrado, pelado e ele gritava, chorava, muito sangue, apanhava de chicote, um bicho na boca, uma cobra comendo ali, como chama, embaixo da barriga.

Eu sei onde.

Então ele me olhou e eu acordei assim suando.

E acabou?

O homem era você.

O que você quer dizer com isso?

Eu, nada. É sonho. E pra deus aparecer assim deve ter algum sentido. Quer dizer. Sentido pra você.

Eu sou anti-culpa. Deus, por tudo o que a gente já viu, é pró-culpa.

Quer dizer que vocês nunca vão se entender?

Se ele não gosta do que eu sou, nunca.

1 - 4

1 - 4

Já ouviu falar?

E então?

Não quero.

Por quê?

Porque não.

Tá tudo certo pra você?

Tá.

Você concorda?

Sempre foi assim.

Mas agora pode ser diferente.

Regra é regra.

Até o fim?

Se o mundo muda, a regra tem que mudar.

O que funciona não precisa de mudança.

O que funciona só pra alguns não é justo.

A gente tem que se adaptar à lei e não o contrário.

A gente tem que melhorar sempre e ser feliz.

Isso parece desculpa. Coisa de folgado que quer se dar bem.

3 - 6

3 - 6

Eu quero ser mãe de uns quatro.

O destino é cego mesmo.

Eu penso muito e vou me organizar.

Eu nunca pensei nisso.

Mas agora mudou.

Não tenho condição nenhuma.

Qual o problema?

Em que mundo você vive?

Sério, não vejo nenhum.

O problema são os outros.

Que outros?

Todos os outros. Todos. Todos. Não é fácil. Sozinha não é fácil.

Ele pode até assumir, mas não namora.

O filho não é dele.

Não?

Não.

Que bafo.

5 - 8

5 - 8

Eu aceito tudo.

Uma hora vão ter que engolir.

Porque um não é menos alma do que o outro.

Nem menos sagrado.

Tudo igual.

Eu já te perguntei com quem você trepou?

Já. Uma vez.

Então não pergunto mais.

Eu não escondo.

Então quem?

Você quer nomes ou só assim, por cima?

Assim por cima e assim por baixo.

Tipo como? Explica, senão eu conto outra coisa.

Conta o que você quiser contar.

Mas contar o que? Os nomes?

Homem ou mulher?

Ah, entendi.

Então?

A gente muda todo dia.

Cachorros 2

Cachorros 2

C1 - Se você segue as normas, eles te aceitam.

C2 - Você é covarde.

C1 - Eu sou feliz, é diferente.

C2 - Você acha que é. Isso porque não conhece nada além daqui.

C1 - Todo dia passeio duas vezes.

C2 – Grande consolo.

C1 - Tenho água, comida e de vez em quando um carinho.

C2 - É a recompensa por ser manso.

C1 - Cada um tem a vida que lhe cabe.

C2 - A gente pode escolher.

C1 - Não pode. O destino é um sorteio.

C2 - De onde você tirou isso?

C1 - No dia do sorteio você fica sabendo pra onde vai. Pode ser que você ganhe um posto de homem. Pode ser que ganhe um posto de planta, ou bicho. E não existe pra quem reclamar.

C2 - E isso te deixa feliz?

C1 - A minha filosofia da felicidade é estar tranquilo com o que a gente é e tentar viver bem com o que a gente tem.

C2 – A minha filosofia é tentar enganar o sorteio.

C1 - Alguma vez você enganou?

C2 - Ainda não, mas vou conseguir.

C1 - Quando?

C2 - Amanhã.

1 - 7

1 - 7

Posso te falar uma coisa?

Já to sabendo, acho um saco, coisa de viado e não vou nem passar perto.

Acha um saco o que?

Essa frescura de reclamar.

O que você faria?

Nem pensaria nisso?

Cara, você não tem outra coisa pra fazer?

Tipo?

Você já comeu alguém?

Quem?

Comeu?

Se você não trepou ainda você tá na infância, entendeu?

Eu não to na infância.

Você não passou de fase.

Não vou ficar perdendo tempo com brincadeirinha de criança. Eu não preciso dessa merda.

Então tá fazendo o que aqui?

Obedecendo algum filho da puta. E só.

2 - 3

2 - 3

Outra noite vi luzes.

Que lindo.

Elas falaram comigo.

Coloridas?

Disseram o que?

Tenha fé.

Pausa.

Em que, mais exatamente?

Acho que no geral.

Pausa.

Às vezes te acho uma coitada.

Eu sei. Mas não consigo controlar. É assim.

Coisa de quem espera outra vida, enquanto a verdadeira grita bem debaixo do seu nariz.

4 - 8

4 - 8

Se todo mundo fosse gay o planeta ia sumir.

Por quê?

Ninguém nascia.

Pausa.

1 - 5

1 - 5

Muito suave.

Os cartazes?

Os caras não vão dar a mínima.

Mas foi você quem teve a idéia.

Agora to noutra fase.

O que você sugere?

Estourar umas bombas.

Tá doido?

Eu posso fazer isso.

Eles te pegam.

Nem sabem que eu existo.

E as fichas?

Nem meu pai sabe que eu existo.

Não exagera.

Já fiquei dois dias sem aparecer em casa e ninguém notou.

Você tá maluco.

A reclamação tem que ser geral.

Não é uma guerra.

De guerra a gente entende.

6 - 7

6 - 7

Pode relaxar.

To relaxado.

Já tenho certeza.

Quem é então?

Adivinha?

Você tá querendo me dar um golpe?

Que bobagem.

Te meto um processo.

Não acredito no que estou ouvindo.

Não é porque a gente transou uma, duas.

Três, quatro.

Sei lá quantas vezes, não é por isso que eu vou me dar mal.

É isso.

Isso o que?

Dá nisso.

Transar com alguém que você não se importa te deixa mais sozinha do que não ter transado.

3 - 4

3 - 4

Ás vezes é na porrada mesmo, reconheço, tipo em casa.

É difícil suportar.

Mas a vida é assim e a gente não tem muita opção.

Tem, se você morar no mato e deixar o mundo andar sozinho.

O mundo não anda sozinho.

Sempre andou.

Ele é feito de pessoas. As pessoas é que decidem pra onde vamos.

Olha aí a tragédia que fizeram nos últimos 5 mil anos.

Dá pra ser diferente. Pra isso servem as revoluções.

Se eu me descobrir já é uma grande revolução.

Então tem que aprender a conviver.

Nem vem.

Por quê?

Quanto menos você convive mais tempo você tem.

E menos você é.

Cachorros 3

Cachorros 3

C1 - Estou começando a acreditar.

C2 - Em que?

C1 - Nesse outro mundo que você diz que existe.

C2 – Eu já ouvi histórias de quem foi, viu e voltou.

C1 – Isso me dá esperança.

C2 – Ela existe, mas não pra quem tem medo.

Pausa.

C1 - Eu vou.

C2 - Bom garoto.

C1 – O que a gente tem que fazer?

C2 - O segredo é ter um plano.

C1 - E o resto?

C2 - O resto é ação.

1-6

1-6

Tá com tempo?

To pensando em invadir a diretoria.

Não consigo pensar nisso agora.

Destruir tudo.

A minha cabeça tá noutro lugar.

Você não acha que tem que mudar?

Eu já mudei.

2 – 5 – 7 – 4 X 4

2 – 5 – 7 – 4 X 4

Você tá exagerando.

Ninguém tá nem ai.

Se quiserem me expulsar, ótimo. Eu não tenho nada pra fazer aqui mesmo.

Não é você o pai.

Ele se acha o único homem do mundo.

Não sou eu também.

Vocês vão acreditar nessa história?

Cientificamente é super possível.

É natural.

Só não é muito comum.

Isso é golpe.

O que você acha que ela quer?

Ela tá falando a verdade.

E te livrando.

Pausa.

É, se me livra é bom.

Não disse? Se tem vantagem, ele entende.

3 - 8

3 - 8

Não tem nada pra explicar.

Como não?

O que você não entendeu?

Isso aí. Como foi?

Isso o que?

Não se faz de bobo.

Então diz, por que eu não entendi.

Tipo, você não é gay?

Desde que eu nasci.

Agora vai ser pai.

Desde que ele nascer.

Então, isso.

O que?

Como foi. Você, assim, sendo esse um que você é, o que achou?

Pausa.

Eu não fui esse um. Aquele dia eu era outro.

Como assim?

4 - 7

4 - 7

Vocês são namorados.

Não somos.

Tem que assumir.

Não somos.

Não transaram?

Se transaram, são.

2 - 6

2 - 6

É melhor não fazer isso.

Não vem me dar sermão.

Eu tenho uma tia que pode ajudar.

Eu preciso do dinheiro e só.

Aí complica.

Eu fiz a merda, eu resolvo.

Vai ser pior.

Já chorei muito.

Então não chora mais.

Pausa.

Ouvi dizer que pó de café com coca-cola e vinagre dá um jeito.

Que nojo.

Misturo tudo, viro e já era.

Cachorros 4

Cachorros 4

C1 – Incrível como pra você tudo fica fácil.

C2 - Pelo contrario. Eu sofro.

3 - 5

3 - 5

Deu uma vontade de ver estrela.

Isso é pra quem namora.

A gente vendo estrela, só se for namorando.

Amigo não pode?

Pode, mas não deve.

Que ideia machista.

É físico, não é moral.

Pausa.

Isso tem a ver com a propriedade privada.

Não viaja.

Com a compra, sabe. A posse. Eu compro e é meu, só meu.

To falando de gente, não de coisa.

É o mesmo assunto. Todo mundo devia ser de todo mundo. Sem dono.

Não ia dar certo.

Pausa.

Namoro é pra capitalista.

7 - 8

7 - 8

Pausa.

Às vezes a gente tem que sentar e respirar.

Se não der muito trabalho.

Sentar?

Pausa.

Eu sempre quis ser o melhor.

Todo mundo tem direito.

Mas eu não sou o melhor.

Pausa.

Talvez olhando de fora até seja.

Não entendi.

Outras pessoas podem ver coisas sobre você que você mesmo não consegue ver.

Mesmo que essas pessoas sejam imbecis?

Eu falo de sexualidade.

Vou nessa.

Você pensa em sexo.

A mesma merda.

É diferente.

Grande pausa.

Vamos fazer assim: você vive a sua vida e eu vivo a minha.

Eu nunca quis outra coisa.

Cachorros 5

Cachorros 5

C2 - Olha aquela.

C1 – A maior?

C2 - Chama Lua.

C1 - Lá eles nem devem imaginar que a gente existe.

C2 – Por isso você tem que uivar.

Pausa.

C1 - O universo é mesmo uma sopinha de mansidão sem fim.

C2 – Nada. Pra onde você olhar vai encontrar uma luta.

C1 – Que osso.

C2 - Sem crueldade não há vida.

Pausa.

C1 - Acho que em algum momento a gente vai enfrentar essa coisa da crueldade.

C2 - Será?

C1 - Aposto.

4 - 5

4 - 5

Eu tenho minhas coisas pra resolver.

O que, por exemplo?

Não tenho nada a ver com isso. To muito bem. Depois eu já sei. Fica todo mundo me achando esquisita. Fofocando pelos cantos. Fazendo piadinha sem graça quando eu passo.

Sua preocupação com o que as pessoas pensam de você vai acabar.

Quando?

Quando você perceber que elas pensam pouco em você.

6 - 8

6 - 8

Eu não sei dançar sem beber.

Vem. Vai fazer bem pra criança.

O que?

Ser feliz. Desde cedo.

2 - 7

2 - 7

Tudo isso uma hora passa.

Não nasci pra sofrer.

A gente se acostuma.

Tem gente que aceita qualquer resto.

O que não dá é pra fugir.

Tipo porco que se acostuma com lavagem.

A lavagem salva o porco.

Só quem pode me salvar princesa, sou eu mesmo.

Cachorros 6

Cachorros 6

C2 - Preparado?

C1 - Preparado.

Eles se olham por um tempo.

C1 - Vamos?

C2 - Vamos.

Respiram juntos.

Som de atropelamento.

A luz volta devagar.

Um círculo em volta do corpo morto de C2.

Numa ponta do palco o outro cachorro observa.

1 a 8 X 7

1 a 8 X 7

Mas como foi?

Corria muito.

Parecia que ia voar.

E voou.

Eu achei que ele tava fugindo de alguém.

Ele não sabia pra onde ir.

Ele corria atrás de alguma coisa.

Era caça.

Era fuga.

Tão bonita.

Invocada, sozinha, possuída.

Esses dias andava bravo.

É ele ou ela?

Será que se matou?

Ele e ela. Pode ser.

Passou de fase.

Depressão.

Era feliz, latia à toa pro céu.

Sabia que depressão mata?

Fortão, pêlo bom, bem cuidado, vivia de boa.

De fora a gente vê beleza onde pode morar uma tragédia.

Esse cachorro era fresco, ainda não conhecia a rua.

Mas não foi a rua que matou ele.

Ele nem sabe que morreu ainda.

Passou em cima da cabeça, né?

Nas ideias.

Vai ficar penando um tempo no purgatório.

Eu vi isso num filme espírita.

Cada um merece o que tem. Esse mereceu se fuder.

Ele escolheu.

Pelo menos a morte tirou ele da realidade.

Tá me dando uma tristeza.

E agora?

Tem que pegar e levar pro dono.

Dar de presente um defunto?

Isso não é presente, no caso é destino.

Destino besta.

Ele vai ter outra chance.

Mas olha, morreu sorrindo.

Não parece.

Se ele ficasse lá onde estava, continuaria vivo.

É verdade.

Não entendi.

Acreditou demais.

Só morreu porque resolveu inovar.

Tipo Jesus.

Pausa.

É.

É.

É.

É.

É.

É.

É.

C1 – É.

Todos olham para C1.

Música.

A luz começa a cair lentamente sobre a cena, até o escuro total.

fim

Table of Contents