loading

_peças /

Atualização De Status / Tim Etchells

Atualização de Status

Tim Etchells

Direitos Autorais

Esta peça teve seus direitos liberados para os grupos participantes do projeto Conexões
no Brasil e compõe o portfólio de 2017. Para qualquer montagem fora deste projeto, favor
consultar os direitos autorais com o diretor executivo da companhia Forced Entertainment.

Eileen Evans. eileen@forcedentertainment.com

Texto da peça na íntegra


Trechos grifados em negrito devem ser alterados conforme as circunstâncias da peça.

A –Nós sabemos que temos 237 pessoas na plateia esta noite.
B – Ainda não sabemos se todos vocês ainda estarão aqui quando a peça acabar.
A – Sabemos que mais ou menos 150 de vocês reservaram ingresso com antecedência.
B – E uns 87 compraram na bilheteria.
C – Sabemos que esta sala onde estamos tem aproximadamente 6 metros de largura,
18 metros de comprimento e entre 3 e 5 metros de altura.
D – Sabemos que o carpete é vermelho.
E – Sabemos que as cadeiras não são muito confortáveis.
D – Sabemos que algumas partes dos camarins não são limpas há muito tempo.
F – Sabemos que somos 9 aqui no palco.
G – Sabemos que a soma das nossas idades dá um número maior que 150.
E – Mas menor que 200.
G – Não sabemos as idades de vocês.
H – Sabemos que mais tarde, quando as luzes sobre o palco se apagarem, vão rolar
uns estalos vindos lá de cima, conforme o metal dos refletores começa a esfriar.
J – Sabemos que na parte de trás do encosto da cadeira D19 ou D20 alguém rabiscou
alguma coisa – com um canivete, talvez, ou uma caneta com pouca tinta.
A – Ou com um pedaço de vidro.
J – Não é nada escrito, são só umas linhas horizontais.
F – Sabemos que no fundo da sala, no lado esquerdo, tem umas marcas meio
inexplicáveis no chão.
B – Não fazemos a menor ideia de quem ou o que fez aquelas marcas...
F – Não sabemos como elas foram parar ali.
G – Não sabemos se existe um nome pra cor exata destas cortinas.
A – Sabemos que a temperatura no palco neste exato momento é de 20 graus.
C – Sabemos que as janelas estão fechadas.
D – Sabemos que o ar-condicionado está desligado.
C – Sabemos que se todos nós ficássemos presos aqui, com as portas e janelas
completamente fechadas, haveria oxigênio pra todo mundo respirar por apenas
dois dias e meio.
D – Sabemos que nenhum de nós sofre de claustrofobia.
C – Sabemos que nenhum de nós tem medo do escuro.
F – Sabemos que dois de nós temos medo de aranhas.
E – Sabemos que um de nós tem medo de mariposas.
A – E que outro de nós tem medo de mariposas e de aranhas.
H – Que quatro de nós temos medo de altura.
B – Que alguns de nós desmaiamos ou ficamos um pouco tontos quando vemos
sangue.
J – Que seis de nós não nos sentimos à vontade quando há um silêncio.
G – Que quatro de nós adoramos gritar em montanhas-russas.
B – Que dois de nós temos medo de sombras.
J – Que três de nós nos sentimos pouco à vontade num avião.
G – Sabemos a diferença entre ‘se sentir pouco à vontade’ e ‘ter medo’.
C – Sabemos nossos próprios nomes.
D – Sabemos os nomes de todos nós.
C – Sabemos os apelidos de todos nós, tanto os atuais quanto os antigos.
J – Sabemos os nomes de alguns de vocês.
A – O John e a Jackie, por exemplo, estão aqui – são os pais da Karen.
F – Tem também um grupo de parentes do José, incluindo a Tia Flora.
A – Tem o Navraj – namorado da Sonia.
F – Tem o Jim – irmão mais novo da Yvette.
H – Sabemos os nomes de alguns de vocês porque estavam anotados na bilheteria.
J – A Sra. Smith e o Sr. Jeardon.
H – T. E. Hastings.
B – Sabemos quem de nós tem irmãos e irmãs.
G – E sabemos quem de nós tem pais vivos.
B – Sabemos dos nossos próprios avós.
G – Se estão vivos ou não.
B – Mas não temos certeza quanto aos avós de alguns do nosso grupo.
G – Também não temos muita certeza quanto a outros parentes, tipo primos, tios,
tias...
C – Sabemos que nenhum de nós tem um irmão ou irmã gêmeo.
F – Sabemos quem de nós tem namorado ou namorada. Exceto em alguns casos
em que há uma certa ambiguidade ou um tipo de segredo.
C – Sabemos quem de nós é gay assumido. Exceto em alguns casos em que há uma
certa ambiguidade ou um tipo de segredo.
D – Sabemos quem de nós come carne, quem é vegetariano, quem fuma, quem
bebe ou usa drogas, quem é promíscuo, quem gosta de um tipo ou outro de
música, quem gosta de política, quem gosta de ler, de praticar esportes, de jogar
videogame etc.
A – Não sabemos como será o futuro.
G – Não sabemos quem de nós se casará.
A – Nem quem de nós ficará solteiro ou se divorciará.
C – Não sabemos quem de nós descobrirá só mais tarde, ou só mais tarde se conformará
com o fato de que na verdade é, e sempre foi, gay.
B – Não sabemos quem de nós morará para sempre na Inglaterra nem quem de
nós se mudará daqui.
G – Não sabemos quem de nós terá filhos.
F – Não sabemos quem de nós será feliz.
G – Não sabemos quem de nós terá alguma tragédia na vida.
F – Não sabemos quem de nós venderá a alma ao diabo.
G – Não sabemos quem de nós irá trabalhar em um banco de investimentos.
F – Nem quem de nós ganhará dinheiro tirando a roupa ou servindo mesas.
D – Nem qual de nós terá de dormir na rua.
B – Ou na praia.
C – Não sabemos quem de nós será rico.
B – Nem quem de nós acabará pobre.
C – Se bem que eu acho que isso até dá pra adivinhar.
J – Não sabemos quem de nós enfrentará grandes dificuldades, tipo doenças ou
acidentes.
A – Não sabemos quem de nós terá muita sorte.
J – Ou muito azar.
A – Ou quem de nós terá sorte disfarçada de azar.
J – Não sabemos quem de nós levará um tombo no gelo.
A – Ou prenderá a mão numa máquina.
J – Não sabemos quem de nós se envolverá em grandes acidentes de carro.
A – Nem em acidentes pequenos.
E – Não sabemos quem de nós terá algum tipo de alergia.
H – Nem quem de nós ficará viciado em alguma coisa.
E – Quem de nós ganhará na loteria.
D – Quem de nós descobrirá alguma coisa nova – um planeta novo, uma nova
dimensão, um novo jeito de fabricar chips de computador, um novo ramo da
matemática...
F – Não sabemos quem de nós morrerá primeiro.
H – Não sabemos quem de nós estará vivo daqui a 10 anos.
F – Ou daqui a 10 minutos.
H – Ou daqui a 20 anos.
F – Ou 50.
J – Sabemos que o Michel tem uma moto.
B – Sabemos quem de nós tem senso de humor.
C – Sabemos que o Jorge tem um celular velho da Nokia.
A – Sabemos quem de nós ri mais fácil e quem é difícil de fazer rir.
E – Sabemos que as pessoas que param você na rua pedindo dinheiro pra pegar o
ônibus pra casa provavelmente estão mentindo.
D – Sabemos que tudo que um sistema automático de atendimento diz – por
exemplo, que você é o 73o na fila de espera e que “a sua ligação é extremamente
importante para nós” –, é mentira.
E – Sabemos que os políticos mentem.
F – Sabemos como as coisas funcionam.
J – Sabemos o que as pessoas nos dizem.
F – Sabemos que horas são.
B – Sabemos que a Karen e o José são amigos.
C – Sabemos que o Michel e a Yvette já foram vizinhos.
A – Sabemos que não é uma boa ideia perambular à noite pela região perto da
estação de trem.
H – Sabemos que em muitas cidades as pessoas ricas moram nas partes mais altas
ou de frente pro mar. E que as pessoas pobres moram nas baixadas.
G – Sabemos que em muitas cidades o trânsito sufoca o centro, poluindo o ar,
tornando as coisas mais difíceis pros pedestres e pros ciclistas, e tornando mais
difícil respirar, principalmente no verão.
F – Sabemos que o álcool faz com que coisas engraçadas aconteçam.
D – Sabemos que algumas crianças gostam de lutar.
J – Sabemos que o sol se põe no Oeste e nasce no Leste.
E – Sabemos que nenhum de nós esteve nos Estados Unidos.
J – Sabemos que nenhum de nós foi pra Hong Kong.
E – Sabemos que nenhum de nós teve recusada a entrada em um país por ter antecedentes
criminais ou por algum problema com o visto.
A – Sabemos que nenhum de nós teve que lidar com a polícia de modo frequente.
C – Sabemos que alguns de nós tivemos problemas com vizinhos, ou pessoas que
moram no mesmo prédio, ou até com certos lojistas locais.
B – Sabemos que dois de nós já fomos expulsos da sala de aula uma vez ou outra.
D – Não sabemos muita coisa sobre vocês.
H – Não sabemos quem vocês são, nem de onde vocês vieram.
D – Nem por quê.
H – Não sabemos se vocês são de confiança ou se são arruaceiros.
F – Na maioria dos casos não sabemos se vocês vieram aqui por acaso ou se já tinham planejado vir.
G – Não sabemos se vieram de longe ou se moram aqui perto.
A – Não sabemos se são vagabundos, se são solitários, se são viajantes.
J – Não sabemos se trabalham duro ou se são uns folgados preguiçosos.
A – Não sabemos se são motoristas de ônibus, comediantes, se trabalham em escritórios
ou se são professores.
J – Não sabemos se vocês pagam seus impostos em dia.
C – Ou se são sonegadores.
D – Não sabemos se vocês são racistas.
C – Se são pessoas legais.
D – Ou se são assassinos.
C – Se jogam futebol nos fins de semana.
F – Se gostam de cozinhar ou cuidar do jardim.
A – Não fazemos a menor ideia.
G – Não sabemos de nada.
B – Não sabemos se vocês são supersticiosos, se frequentam a igreja, se cruzam os
dedos escondido quando fazem promessas, se acreditam em bruxaria.
H – Não temos certeza se vocês têm antecedentes criminais.
J – Não temos certeza se algum de vocês está sendo investigado ou investigada
pela polícia.
B – Não sabemos nem se algum de vocês é da polícia.
C – Não temos certeza se algum de vocês é um policial à paisana que está aqui atrás
de alguém da plateia.
H – Ou se de repente um de vocês é um policial à paisana atrás de um de nós, como
parte de uma investigação.
J – Mas achamos que as chances de isso ser verdade são bem mínimas.
D – Sabemos que vocês estão aqui e que estão assistindo.
E – Sabemos o que está acontecendo nesta sala.
D – Não sabemos o que está acontecendo nesta sala.
E – Temos quase certeza do que está acontecendo nesta sala.
D – Não sabemos o que está acontecendo nesta sala.
E – Não estamos muito certos do que está acontecendo.
A – Não fazemos a menor ideia do que está acontecendo.
E – Estamos convencidos de que sabemos o que está acontecendo.
B – Não sabemos o que está acontecendo nesta sala.
E – Temos quase certeza do que está acontecendo.
D – Podemos sentir a atenção de vocês em nós.
são processados pelo cérebro.
C – Sabemos que se você olha diretamente nos olhos de uma pessoa, você consegue
saber o que ela está pensando.
H – Sabemos que, às vezes, se você olha profundamente nos olhos de uma pessoa,
você consegue saber o que ela está pensando.
E – Sabemos que se você olha nos olhos de uma pessoa você não consegue saber
o que ela está pensando.
H – Sabemos que às vezes, em ocasiões específicas, se você olha profundamente
nos olhos de uma pessoa, você consegue saber o que ela está pensando.
C – Sabemos que se você olha nos olhos de uma pessoa você não consegue saber
o que ela está pensando.
H – Sabemos que, às vezes, em ocasiões específicas, se você olhar profundamente
nos olhos de uma pessoa, você ficará com a impressão de que sabe o que ela
está pensando.
A – Sabemos que, às vezes, em ocasiões específicas, se você olha profundamente
nos olhos de uma pessoa, você consegue se convencer de que sabe o que ela está
pensando.
H – Sabemos que se você olha nos olhos de uma pessoa você não consegue saber
o que ela está pensando.
B – Sabemos que se você olha nos olhos de uma pessoa você pode tentar adivinhar
o que ela está pensando.
H – Sabemos que se você olha nos olhos de uma pessoa você não fará a menor ideia
do que ela está pensando.
F – Se vocês tossirem, nós ouviremos. Se rirem, também.
C – Qualquer movimento que fizerem, nós ouviremos também.
D – A não ser movimentos extremamente pequenos.
J – Ou lentos.
D – O leve movimento dos cílios…
J – …ou o movimento constante da respiração.
A – Sabemos que o silêncio e falta de movimento são sinais de concentração.
C – Sabemos que vocês estão escutando.
A – Sabemos que o som viaja mais devagar que a luz.
G – Sabemos que ondas sonoras são produzidas quando o ar está em movimento.
A – Quando o ar é ‘mecanicamente perturbado’.
G – Sabemos que o som atrai o olhar humano.
A – Levando-o de um lugar...
F – ... para outro.
A – Sabemos que as ondas sonoras penetram no ouvido humano através do canal
auditivo, fazendo o tímpano vibrar.
F – As vibrações passam por um conjunto de ossos no ouvido médio, movimentando
o fluido no ouvido interno, dobrando as células que ficam ali, similares a fios de
cabelo, e transformando as vibrações em impulsos nervosos.
A – Estes impulsos nervosos são enviados ao cérebro pelo nervo auditivo, onde
as informações são convertidas naquilo que as pessoas ‘ouvem’ ou entendem
como ‘som’.
H – É muito provável que vocês estejam nos escutando através deste processo. Ou
então vocês estão vendo os nossos lábios se mexerem e estão decifrando o que
dizemos pelo movimento das nossas bocas.
A – Sabemos que a maior parte dos sons vocais são gerados por uma corrente de ar
que flui dos nossos pulmões e sai pela boca ou pelo nariz. Usamos esta corrente
de ar para formar sons específicos alterando o formato da nossa boca.
D – Sabemos que de modo geral as pessoas pensam um pouco antes de começarem
a falar.
C – As pessoas não começam a falar sem motivo, sem pensar.
B – Elas passam um tempo analisando os pensamentos e ideias que querem articular.
G – E sabemos que depois deste tempo inicial de reflexão interior vem a tarefa de
encontrar as palavras …
B – ... tarefa esta em que a pessoa escolhe as palavras certas que servirão para expressar
as coisas em que estão pensando.
H – De qualquer forma, nós não sabemos o que vocês estão pensando. Não sabemos
se vocês estão sonhando acordados ou se estão concentrados, pensando
intensamente no que está acontecendo …
G – ... ou se estão viajando. Sabemos que o calor e a escuridão do teatro são um prato
cheio para cair no sono, se recostar na cadeira, deixar a escuridão te envolver...
B – Sabemos que vocês estão aí.
J – Observando.
C – Os neurônios nas retinas de vocês transformando o que veem em sinais elétricos
processados pelo cérebro.
D – Sabemos com toda certeza que vocês estão aqui, bem na nossa frente.
E – Mas não temos muita certeza do que está acontecendo atrás de nós.
C – Tecnicamente alguém poderia cruzar o palco atrás de nós, bem devagar e sem
fazer barulho, e nós nem perceberíamos.
J – A menos que tenhamos colocado uma câmera ali atrás.
D – Ou a menos que a gente olhe.
F – O que está acontecendo nas coxias também está completamente fora do nosso
alcance. Não temos como saber o que está acontecendo a menos que alguém
grite ou, sei lá, tussa, ou derrube algo pesado.
J – Ou a menos que alguém quebre algo que faz barulho. Algum copo. Ou uma
louça. Um espelho. Algo de metal.
A – Também não sabemos o que está acontecendo no foyer neste exato momento.
H – Ou sob o palco.
D – E não sabemos o que está acontecendo na África do Sul.
B – Nem no estacionamento.
E – Ou em Paris.
G – Ou do outro lado da rua. Ou do outro lado da cidade.
A – Ou no Monte Everest.
J – Não sabemos o que está acontecendo em Glasgow. Ou na Cidade do Porto.
Ou no banheiro do andar de baixo. Ou em Leicester.
C – Ou embaixo das cadeiras aí do fundo, ou embaixo do palco. Ou em Shanghai.
Ou na Bósnia. Ou nas colinas da Lua. Ou nas Ilhas Faroe. Ou em Kinshasa. Ou
no fundo do oceano.
A – Não sabemos o que está acontecendo na Estação Espacial Internacional.
B – Não sabemos nada sobre a Estação Espacial Internacional.
F – Sabemos que a Estação Espacial Internacional é o maior objeto artificial em
órbita da Terra, e que daqui, da Terra, de vez em quando dá pra vê-la a olho nu.
A – A Estação Espacial Internacional é do tamanho de um campo de futebol.
F – Um campo de futebol americano.
A – Ela pesa o mesmo que 330 carros.
B – Mas não sabemos ao certo que tipo de carro.
F – Sabemos que ela está lá em cima.
C – Mas não sabemos o que está acontecendo nela.
B – Não sabemos muita coisa sobre a Estação Espacial Internacional.
F – Sabemos que a Estação Espacial Internacional consiste em módulos pressurizados,
treliças e grandes painéis solares que se mantêm a uma altura orbital de
380 km e completam quinze órbitas e meia ao redor da Terra por dia. Sabemos
que ela está lá em cima desde outubro do ano 2000, continuamente ocupada há X anos, X meses e X dias, o que representa a mais longa presença humana
contínua no espaço na história.
A – Dá pra ver a Estação Espacial Internacional a olho nu.
B – Não sabemos como seria estar lá em cima.
D – Não sabemos como seria ficar lá numa missão de seis meses com mais quatro
a seis pessoas.
J – Não sabemos como seria estar numa prisão.
E – Ou numa solitária.
B – Nós sabemos alguma coisa sobre a passagem do tempo.
J – Nós não sabemos tanto assim sobre a passagem do tempo.
B – Sabemos alguma coisa sobre passar o tempo com outras pessoas.
E – Não sabemos muito sobre passar o tempo com outras pessoas.
H – Sabemos como é passar o tempo com a família ou algo assim. Ou passar o
tempo na escola.
E – Sabemos muito sobre o nosso próprio tempo.
H – Sabemos muito sobre passar o tempo uns com os outros.
J – Sobre passar o tempo conversando e se beijando e dormindo.
C – Sabemos que o tempo às vezes passa devagar. E às vezes parece passar mais
rápido.
F – O tempo passa mais devagar quando estamos esperando alguma notícia ou
esperando alguém chegar.
C – E passa mais rápido em períodos de empolgação.
F – Passa mais devagar em situações entediantes.
J – Sabemos que o senso de tempo pro ser humano está ligado ao movimento da
Terra – é a rotação em seu próprio eixo, o que produz o dia e a noite, e a órbita
ao redor do Sol, que leva um ano para ser completada.
D – Sabemos que o coração humano bate mais rápido quando a pessoa está agitada.
J – Exercício físico, sono, ansiedade, estresse, doença, comida, drogas – tudo isso
altera o batimento cardíaco.
D – Sabemos que o coração humano bate em média entre 60 e 100 vezes por minuto.
J – Sabemos que esta apresentação dura aproximadamente 3375 batidas cardíacas,
o que equivale a mais ou menos 45 minutos.
D – A menos que algo dê errado, o que pode fazer com que a apresentação seja
mais curta ou mais longa.
J – Por exemplo, a duração muda se as pessoas disserem coisas que não deveriam
dizer.
D – Ou se alguém pular algumas páginas do roteiro.
J – Ou se alguém pular todas as páginas e for direto pro final.
D – Ou se alguém fizer um ´loop´ e voltar no texto, de modo que algo que deveria
ser dito apenas uma vez seja repetido, talvez mais de uma vez.
B – Sabemos que, às vezes, nos ensaios, nós ficamos presos em um ‘loop’.
F – Sabemos que quando acontece um ‘loop’, às vezes demora um tempo pra que
alguém perceba o que está acontecendo.
B – Sabemos que os ‘loops’ acontecem quando uma frase não leva a um lugar novo...
H – …e em vez disso nos leva a um lugar onde já estivemos.
F – E sabemos que quando acontece um ‘loop’, o tempo parece andar mais devagar.
B – E às vezes parece andar mais rápido.
E – Sabemos que a apresentação dura mais ou menos 45 minutos.
A – A menos que algo dê errado.
E – Por exemplo, se alguém disser coisas que não deveria dizer.
A – Ou se algo que deveria ser dito apenas uma vez é repetido.
E – Sabemos que às vezes, nos ensaios, nós ficamos presos em um ‘loop’.
D – Sabemos que quando acontece um ‘loop’, às vezes demora um tempo até que
alguém perceba.
E – Mas normalmente em alguma hora alguém percebe.
J – Nós sabemos que mais ou menos nessa hora chega a parte provavelmente
mais difícil da apresentação. Vocês já conhecem os parâmetros. As regras. As
possibilidades. As cartas estão todas na mesa. Está claro o que podemos fazer,
até onde podemos ir, o tipo de assunto em que podemos entrar, sem quebrar as
nossas próprias regras. Mas ao mesmo tempo nós sabemos que vocês já viram o
suficiente pra sentirem que a nossa capacidade de gerar surpresa está lentamente
se reduzindo, que não vamos mais tirar coelhos das nossas cartolas, mas em vez
disso vamos apenas caminhar pelas bordas de um espaço bem delimitado.
F – Sabemos que a série preferida de C é XXXXXXX.
C – Sabemos que o jogo preferido de A é XXXX.
B – Sabemos que D é o (a) melhor jogador (a) de XXXX dentre nós.
D – Sabemos que B só sabe tocar três músicas no violão.
C – Sabemos que o livro favorito de E é XXXXXX.
A – Sabemos que J dança bem.
D – Sabemos que H gosta de dançar, mas não sabe dançar muito bem.
H – Sabemos que do quarto de F dá pra ouvir o barulho do ar-condicionado quebrado
do hotel vizinho.
C – Sabemos que, dentre todos nós, a pessoa que provavelmente vai chorar primeiro
é D.
F – Sabemos que o quarto de A nunca fica totalmente escuro, porque as cortinas
são finas e tem um poste de luz do lado de fora bem em frente à janela.
E – Sabemos que C às vezes leva meninos (as) pro quarto escondida (o) pra dar
uns beijos.
G – Sabemos que J jura que nunca transou.
E – Sabemos que A divide o quarto com a irmã dela.
G – E que E divide o quarto com o irmão.
H – Que B escreveu umas coisas na parede do banheiro.
E – Sabemos que XXX seria uma boa pessoa pra se perguntar sobre as coisas que
somem da cozinha da casa onde ela mora.
A – Sabemos que tem uns objetos pessoais, tipo diário e coisas assim, escondidos
no armário do quarto das irmãs de F.
E – Sabemos que o número mais discado no celular de D é 0654 721 8346.
A – Mas quase nenhum de nós reconhece que número é esse.
B – Sabemos que quando o teatro está cheio vocês ficam mais perto uns dos outros
do que nós.
F – Sabemos que a distância entre nós aqui no palco é de mais ou menos uns 20 cm.
B – E que aí embaixo, onde vocês estão, quando todas as cadeiras estão ocupadas
vocês ficam basicamente ombro a ombro.
D – Da primeira fileira até o palco tem 3 metros e meio.
C – Dos nossos pés até o fundo da sala tem 10 metros.
D – O corredor mais rápido do mundo percorreria essa distância em 0,2 segundos.
C – Uma aranha conseguiria fazer uma teia daqui até a parede em X minutos.
H – Sabemos que somos um grupo de 9 pessoas.
A – E que vocês são uns 237.
F – Sabemos que a população mundial está hoje em aproximadamente 7,125 bilhões
e que a massa total de terra firme do planeta é ligeiramente inferior a 150
milhões de quilômetros quadrados.
D – Com base nestes fatos, podemos concluir que se toda a terra do planeta fosse
repartida igualmente entre todos os seus habitantes, cada um teria aproximadamente
21 metros quadrados para si.
F – Mas sabemos que não é assim que o espaço terrestre é dividido.
B – A divisão é bem mais desigual.
D – Algumas pessoas têm espaço demais. Outras não tem espaço algum.
F – Sabemos que algumas pessoas têm dinheiro demais, e outras não têm dinheiro
algum.
B – Sabemos que embora as pessoas critiquem a desigualdade, isso no fundo não
leva a mudança alguma.
E – Sabemos que o que as pessoas dizem nem sempre são refletidas nas coisas que
elas fazem.
B – Sabemos que as ações das pessoas nem sempre combinam com os princípios
delas.
E – Sabemos que o bom funcionamento do mundo depende deste fato não ser muito
exposto. Sabemos que as verdades não devem ser ditas com muita frequência
nem de forma muito impositiva.
J – Sabemos que algumas pessoas se sentem bem machucando outras...
B – …ou exercendo poder sobre elas, direta ou indiretamente.
H – Sabemos que algumas pessoas são escrotas e idiotas.
J – Sabemos que algumas pessoas são egoístas.
H – Que algumas pessoas são falastronas.
C – Sabemos que às vezes é difícil encontrar um taxi de manhã cedo.
A – Sabemos que não dá pra confiar nos meninos.
B – Sabemos que não dá pra confiar nas meninas.
C – Sabemos que não dá pra confiar em meninos ou meninas.
E – Achamos que podemos confiar em vocês.
D – Sabemos que não podemos confiar em vocês.
G – Não temos certeza se podemos confiar em vocês.
F – Sabemos que enquanto vocês estão sentados aí no escuro, escutando o que a
gente diz, os seus olhos e a sua atenção podem estar voltados para outro lugar.
J – Não sabemos se vocês estão realmente prestando atenção ou se estão apenas
fingindo estar focados no palco enquanto fazem alguma outra coisa.
F – Não sabemos se vocês estão sonhando acordados.
J – Ou se estão dispersos.
F – Não sabemos se vocês estão prestando atenção.
A – Sabemos que coisas que parecem ser uma má ideia quando estamos sóbrios
podem parecer grandes ideias depois que bebemos.
B – Sabemos que às vezes as pessoas se atêm aos fatos, porque incertezas e questionamentos
podem se tornar insuportáveis.
C – Sabemos que a chuva e a neve caem verticalmente para baixo, desde que não
haja vento.
H – Sabemos que a Segunda Guerra Mundial terminou.
C – Sabemos que a Guerra de Troia terminou.
A – Sabemos que a Guerra Fria meio que começou de novo.
D – E que uma Guerra de Palavras vem se desenrolando há algum tempo.
H – Sabemos que o motor a vapor se tornou obsoleto.
E – Sabemos que a pele queima quando exposta à luz do Sol.
D – Ou à radiação.
F – Sabemos que se você come demais você fica doente.
E – Ou gordo.
B – Sabemos que no escuro não dá pra enxergar nada.
C – Sabemos que coisas deletadas do computador raramente são realmente deletadas.
J – Sabemos que algumas pessoas lidam melhor com o estresse do que outras.
G – Sabemos que hoje de manhã a libra perdeu o valor em relação ao dólar.
D – E que o índice FTSE 100 caiu um pouco também.
G – Que o euro continua estável.
F – Que as ações da Xerox caíram muito.
E – Que as ações da Apple caíram bem pouco, cerca de 0,3 centavos por ação.
D – E que houve um aumento no preço do petróleo.
E – E também no preço do trigo.
D – Não sabemos como está a bolsa de valores neste exato momento.
H – Sabemos que a maior parte dos danos de uma bomba atômica são causados pela
explosão – uma onda de choque de ar que irradia para fora, produzindo mudanças
súbitas na pressão atmosférica suficientes para esmagar objetos, e ventos fortes
que podem derrubar coisas. Grandes edificações são destruídas pela mudança
na pressão atmosférica, enquanto pessoas e objetos como árvores e postes são
destruídos pelo vento. O tamanho do raio da explosão está diretamente relacionado
à altura em que a explosão acontece em relação ao solo.
B – Sabemos que bombas fazem barulho.
A – Sabemos que bombas fazem um som horrível.
H – Não sabemos muita coisa.
B – Sabemos bastante coisa.
D – Não sabemos coisa alguma.
H – Não sabemos nada.
B – Sabemos o suficiente.
A – Não sabemos nada.
H – Não sabemos coisa alguma.
B – Não sabemos porra nenhuma.
A – Nós sabemos o que acontece, mas nem sempre sabemos por quê.
E – Sabemos que as pessoas se aproximam.
F – Ou se afastam.
C – Que os corpos mudam.
D – Que as memórias se apagam.
E – Que as economias crescem e caem.
apaga.
F – Que a incerteza, uma vez presente, se multiplica rapidamente.
A – Sabemos que daqui a 85 anos todos nós aqui – as pessoas neste palco – estaremos
mortos. E sabemos que todos vocês, muito provavelmente, estarão mortos
antes de nós. De todo jeito, sabemos que em no máximo uns 80 anos com certeza
todos vocês estarão mortos.
J – Sabemos que as pessoas ficam bem nervosas quando alguém começa a falar
em morte.
H – Elas ficam um pouco nervosas.
J – Sabemos que as pessoas também ficam nervosas quando se fala em doenças,
pelos mesmos motivos, motivos óbvios.
H – As pessoas também ficam nervosas se veem alguém segurando uma arma.
C – Elas também ficam nervosas quando se fala de amor, mas por motivos diferentes.
D – Ou se começam a falar muito sobre sexo.
A – Sobre penetração.
B – E prazer.
D – Ou orgasmo.
E – Coisas que podem violar os limites das pessoas causam esse tipo de nervosismo.
Coisas que podem ser consideradas impróprias. Especialmente em público. E
sem a proteção de um personagem.
F – As pessoas também ficam um pouco nervosas quando se fala em raça. Ou
política. Ou dinheiro.
J – Sabemos que as pessoas não querem ouvir longas dissertações sobre o aquecimento
global e os efeitos que ele está causando.
H – Ou uma longa descrição de um vídeo do YouTube em que uma pessoa é morta.
J – Ou grandes discussões sobre dinheiro e quem tem muito e quem tem pouco.
H – Sabemos que assuntos tranquilos pra uma conversa são o trânsito de ontem.
J – Ou o tempo anteontem.
H – Comida.
J – Os planos pras férias.
B – Sabemos que em certas circunstâncias uma conversa difícil é seguida por uma
espécie de silêncio constrangedor.
C – Como num filme, quando eles fazem a torneira pingar ou o relógio bater bem
alto.
B – Ou quando o silêncio parece de nervosismo. Como se o próprio tempo estivesse
arranhando a pele, sem jeito e desconfortavelmente. Ou então o tempo
simplesmente parece passar mais devagar, reverberando. Cada segundo é uma
grande batida penetrante.
J – Sabemos que seres humanos e animais são diferentes.
H – Golfinhos são inteligentes. Abelhas são coletivas. Ratos são engenhosos.
A – Sabemos que cães são fiéis.
G – Sabemos que gatos têm personalidade.
B – Sabemos que raposas às vezes matam mesmo sem estarem com fome.
C – Sabemos que aranhas não sabem nadar.
A – Sabemos que pássaros migram dezenas de milhares de quilômetros, utilizando
uma espécie de radar relacionado aos campos magnéticos do planeta e usando
as estrelas e o conhecimento da Terra, navegando por um sistema desconhecido.
E – Sabemos que algumas pessoas são melhores que outras para ler mapas.
D – Que algumas pessoas se perdem mesmo quando usam um GPS.
B – Sabemos que o comportamento dos animais pode ser modificado ou condicionado
usando a aplicação consistente de um sistema específico de punições e
recompensas. Ratos colocados em uma espécie de caixa – também conhecida
como Caixa de Skinner ou Câmara de Condicionamento Operante – aprendem
facilmente que apertar uma determinada alavanca está diretamente ligado à
chegada de comida ou à interrupção de uma corrente elétrica incômoda. Sabemos
que não há uma diferença real entre o aprendizado que acontece com
os humanos e o que ocorre com os outros animais. B.F. Skinner propôs que os
seres humanos aprendem a se comportar basicamente do mesmo modo que os
ratos apertando uma alavanca. Skinner acreditava que a vontade própria do ser
humano era na verdade uma ilusão, defendendo em vez disso que nossas ações
são melhor entendidas como resultados das suas consequências. Se as consequências
de uma ação são ruins, há uma grande chance de que tal ação não será mais
repetida. Por outro lado, se as consequências de uma ação são boas, a ação que
levou a esta consequência será mais provavelmente repetida no futuro. Skinner
chamava isso de princípio do reforço.
H – Sabemos que o tempo passa.
C – Que o tempo está passando.
D – Sabemos que as coisas estão mudando.
H – Sabemos que as coisas estão lentamente se encerrando.
G – Sabemos que acima e abaixo de nós tem um certo espaço. Das nossas cabeças
até o teto tem mais ou menos X metros. Dos nossos pés até o chão aí embaixo
tem uns xxxx centímetros. Se começássemos a cavar – até o fundo – usando pás do tipo de terra que encontrássemos,
levaríamos 872 anos para atingirmos o centro ou núcleo
H – Mas obviamente, ainda que isso seja um fato, sabemos perfeitamente que TODOS
nós estaríamos mortos muito antes disso pela idade e por exaustão.
B – Sabemos que o tempo passa.
C – Sabemos que o tempo está passando.
D – Que o tempo provavelmente já passou.
A – Sabemos que a língua é uma armadilha.
F – E um jeito de escapar de uma armadilha.
B – Sabemos que a língua é uma armadilha e também um jeito de escapar de uma
armadilha.
C – Sabemos que a língua faz e dá forma ao mundo em que estamos.
D – E também é uma ferramenta para mudar o mundo.
C – Sabemos que B acredita em fantasmas.
E – Sabemos que o mundo seria diferente se as circunstâncias fossem modificadas.
Se os dinossauros ainda estivessem vivos. Se os níveis do mar se elevassem.
A – Ou se Hitler não tivesse nascido. Se o Imperador Lizong da China tivesse
morrido jovem. Se os palestinos tivessem chegado à Lua primeiro. Se Colombo
não tivesse descoberto a América. Se a Primeira Guerra Mundial nunca tivesse
acontecido. Se Nelson Mandela nunca tivesse sido libertado.
B – Sabemos que J viu um fantasma, uma figura no canto do quarto, sentada em
silêncio e observando. Esperando.
D – Sabemos que A tem um sonho recorrente em que está caindo.
E – Sabemos que H tem um sonho que é só um som.
B – Sabemos que vocês estão observando, esperando.
F – Sabemos que fortes campos eletromagnéticos, ou choques elétricos, podem
causar alucinações.
G – Sabemos que as informações na Internet estão sob grande vigilância.
C – Sabemos que os cromossomos são compostos por DNA e que os genes são
pequenos segmentos de DNA.
D – Sabemos que as moléculas de DNA são longas e complexas e que tais moléculas
carregam códigos que determinam as características de todo ser vivo.
C – Sabemos que exceto nos casos de gêmeos idênticos, o DNA de cada pessoa é
único.
F – Sabemos que às vezes as pessoas têm a sensação de que algo está errado, uma
sensação que não tem qualquer relação com um evento concreto.
B – Sabemos que em outros momentos as pessoas tem a sensação oposta – a sensação
de que vai ficar tudo bem.
A – Sabemos que nenhuma destas sensações é confiável.
J – Sabemos que algumas pessoas são otimistas, outras são pessimistas.
E – Sabemos que as coisas mudam.
A – Sabemos que as coisas ficam sempre iguais.
C – Sabemos que o tempo passa.
A – Que o tempo está passando.
G – Que o tempo com certeza já passou.
F – Sabemos que as pessoas às vezes têm uma sensação que não está ligada a um
evento concreto.
A – Sabemos que algumas pessoas se sentem confiantes em si mesmas.
B – Que algumas pessoas sabem escutar.
C – Que algumas pessoas observam atentamente.
E – Que algumas pessoas fecham os olhos pra se concentrar.
F – Que algumas pessoas fazem pedidos no escuro.
D – Que algumas pessoas têm uma sensação de que o tempo está mudando.
H – Que algumas pessoas acham que o tempo está passando lentamente.
J – Que algumas pessoas mudam.
E – Que todo mundo muda.
A – Que as pessoas mudam o tempo todo.
B – Que o tempo passou.
C – Que o tempo se foi.
F – Que algumas pessoas mudam.
H – Que as pessoas são a mudança.
Fim

tradução
Rodrigo Haddad

Table of Contents