loading

_grupos

  • Teatro de Criação

    Instiuição: Colégio Esperança
    Direção: Juliana Tura (jutura@hotmail.com)

    O teatro de criação foi criado em 1998 e desde então desenvolve seu trabalho com jovens que têm a possibilidade de conhecer o fazer teatral de maneira bem comprometida. Ao longo desses anos, diversas montagens foram realizadas de forma que os jovens que tiveram a oportunidade de passar pelo processo pudessem conhecer e experimentar autores como Bertold Brecht, Luís Alberto de Abreu, Aluísio Azevedo, Chico Buarque de Hollanda, entre tantos outros. Assim, o grupo Teatro de Criação vai se renovando a cada ano, tanto com os novos alunos que chegam, como na experimentação de novas linguagens e novos fazeres teatrais.

  • Grupo Conde

    Instiuição: Colégio Conde Domingos
    Direção: Tânia Regina Costa (profartestania@gmail.com)

    O Grupo Conde passou por vários professores de artes, mas de teatro realmente, nenhum.  E com todos esses professores as experiências não foram muito interessantes. Já que nunca montaram nada. Quando eu entrei em 2008 tive muitos prós e muitos,  e muitos, e muitos contras. Quando em 2008  montamos "Minha Bruxa Madrinha", um texto meu sobre a primeira menstruação e separação de pais ninguém deu a mínima. O cenário algumas bexigas, chegaram no dia da apresentação horas antes. Eu trouxe o circo para dentro do espetáculo e eles ficaram muito entusiasmados. Muitos alunos entraram no teatro após esta apresentação.

    No ano passado, tentamos montar "Sonho de uma noite de Verão", mas tínhamos poucos meninos. Tentamos então "Alice no País das Maravilhas". Apesar de reclamarem que eu tirei a infância deles,  aprendemos muito sobre o texto. Mas, como marcaram a apresentação para alguns dias depois das aulas terem acabado, não deu certo. Acabaram as aulas os alunos me abandonaram. Nem todos. Tivemos que montar outro texto em 10 dias. Montamos "Sombras" uma adaptação minha de “Platão e a Caverna”. 

    Este ano temos um grupo meio a meio. Uma parte dos alunos está desde o início do grupo há três anos e outros tantos entraram este ano. Bom! Quando o Lucas (um dos alunos) me pediu para inscrever o grupo no Conexões, todos ficaram muito entusiasmados. Quando nós fomos sorteados então, foi o máximo! E agora queremos montar tudo muito direitinho e aproveitar tudo que nós está sendo oferecido.

  • Grupo Dourado

    Instiuição: Antigo Colégio Athenas
    Direção: Sandra Storino (sorocastorino@yahoo.com.br)

    O grupo teve início em 2008 com a reunião de 6 estudantes bastante interessados nas aulas de teatro que eram obrigatórias no colégio. Com a extinção do Colégio Athenas, e a permanência das aulas apenas no horário extra-curricular, o grupo aumentou e hoje iniciamos uma nova trajetória com novos integrantes, encerrando nossa passagem pelo Projeto Conexões com o coração cheio de gratidão e os olhos brilhantes!

  • Grupo ERROemACERTO

    Direção: Pedro Garrafa (pedrogarrafa@yahoo.com.br)

    O Grupo ERROemACERTO é, ao mesmo tempo, um grupo de teatro e um curso de montagem de espetáculo, dirigido e ministrado por Pedro Garrafa. Todos os 14 integrantes do ERROemACERTO são ex-alunos dos grupos de Teatro EXPRESSÃO e FURACO DE TEATRO, respectivamente sediados nos colégios Johann Gauss e Dimensão. Interessados em continuar o processo de aprofundamento na técnica de interpretação e criação teatral, os ex-alunos desses grupos procuraram o professor/diretor, que por sua vez organizou o grupo e realizou a inscrição do mesmo no projeto Conexões.

  • (Im)Pertinente Trupe ConTrastes

    Direção: Cecília Schucman (sischucman@yahoo.com.br)

    A trupe surgiu em 2009 nas oficinas livres da Escola Waldorf Francisco de Assis, que aconteciam às 6as feiras pela tarde, sob orientação de Cecília Schucman e tinham como participantes:  alunos, ex alunos e jovens da comunidade. Antes disso, muitos dos jovens haviam participado, também sob direção de Cecília Schucman, de outras montagens teatrais que faziam parte do currículo da escola, como: Os meninos da Rua Paulo, As aventuras de Hucleberry Finn e Melancia e Coco Mole (peça com a qual foi realizada uma pequena turnê na Zona Norte por escolas públicas e CEUs).

    No fim de 2009, a trupe estréia Como será o amanhã (primeira montagem com dramaturgia elaborada coletivamente) e realiza apresentações deste espetáculo em 2010 na Cia Paidéia e no CEU Jaçanã, dentro do programa 5as feiras culturais, ao qual a Trupe se associou no intuito de promover o aumento do acesso à cultura na Região da Zona Norte. No ano de 2010 a trupe resolve tornar-se um grupo amador independente e é adotada pela ONG Associação Casa dos Meninos. Participar do Projeto Conexões é realizar uma vontade grande do grupo em conhecer outros jovens que façam teatro e poder se relacionar com os mesmos tendo a arte como mediadora deste encontro.

  • Cia Vizinho Legal

    Direção: Leandro Oliva e Danillo Moreno (leandrodeoliva@yahoo.com.br e cidadaodanillo@hotmail.com)

    A Companhia de Teatro Vizinho Legal é fruto do principal programa social da empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. chamado Programa Vizinho Legal, com atuação em três frentes: Cultura, Esporte e Promoção de Saúde. O objetivo do Projeto Vizinho Legal Cultura é promover a saúde emocional e relacional da comunidade do Programa Vizinho Legal por meio do acesso a diferentes expressões artísticas e da ampliação de repertório e lazer cultural no bairro Jaguaré. Com a participação no Projeto Conexões, desde 2007, a Cia de Teatro Vizinho Legal ampliou seu repertório e alavancou resultados positivos comprovados por pesquisas qualitativas e quantitativas. Montagens realizadas: Meio-Fio, de Marcelo Rubens Paiva, direção de Marcello Airoldi (2007); My Face, de Nigel Williams; Uma Professora Muito Maluquinha, de Ziraldo; Com meus botões, textos de Luis Fernando Veríssimo, dirigidas por César Negro e O Monstro do Lixo, texto e direção do próprio grupo (2008); Lindo de Morrer, de Cristopher William Hill; A Outra, criação coletiva, dirigidas por Daves Otani;       A Ópera do Malandro, de Chico Buarque, adaptação e direção de Leandro Oliva (2009) e Gira Mundos, criação coletiva, direção de Danillo Moreno (2010).

  • Grupo Artemanha

    Direção: Valdirene Rocha (val.artemanha@yahoo.com.br)

    Composto por 20 jovens da faixa etária de 13 a 22 anos, o Grupo Artemanha é um fruto da crença de que é possível trabalhar valores, cidadania e a realização de sonhos através da arte.  O grupo atua há onze anos e tem como repertório peças baseadas em textos literários e temáticas de construção coletiva (violência, abandono, drogas, gravidez na adolescência, angústias, medos, etc.). O grupo se apresenta periodicamente na comunidade, empresas, teatros públicos, CEUs e escolas particulares. Realizou duas turnês ao exterior - Alemanha e Portugal em 2002 e 2006, participando de um projeto de integração com outros grupos artísticos europeus.

    Seus últimos trabalhos foram: Sonho de uma Noite de Verão, de William Shakespeare, Lindo de Morrer, de Christopher Hill no Projeto Conexões, No mundo do faz de conta e Uma Tarde Cultural com danças, músicas, teatro e banda ao vivo. O repertório é escolhido pelo próprio grupo, que além de ensaiar, ainda ajuda na produção do figurino, cenário e trilha sonora.

  • E.E. Bairro das Senhorinhas

    Direção: William Martins Camargo (condwilliam@gmail.com)

    Ainda é meio complicado falar do nosso grupo, pois surgiu única e exclusivamente para o projeto. Sei que pode ser audácia um grupo escolar que não tem um grande histórico cultural como os outros, querer participar de um projeto com tão grande proporções como o Conexões. Talvez por este fato seja que sentimos tanto interesse em participar. Fazemos parte de uma comunidade carente na qual as oportunidades culturais são poucas, e os alunos sentem falta de um tipo de atividade como o que o Conexões está proporcionando. Também acredito que o fato de fazermos parte de uma comunidade carente, na qual os recursos e a localização não nos favorecem não nos impede de participarmos. Tenho a clara certeza de que competência e habilidade nós temos, só nos falta oportunidade. Lembrando que o grupo só tem experiência em apresentações de escola, sendo assim, nenhum com formação especifica ou grande participações em peças de teatro.

  • E.E. Matilde Maria Cremm

    Direção: Rosa Lima Gomes (rosa.lg@click21.com.br)

    Os alunos da EE Matilde Maria Cremm são iniciantes na linguagem teatral. Todos com muita sede de aprendizagem, eles tem desenvolvido a cênica no cotidiano escolar. De todo grupo apenas duas alunas: Thalita e Thais, já experimentaram mostrar sua arte ao público externo à escola. É perceptível grande alegria em integrar a equipe nesse desafio que o projeto Conexões nos propicia. Agradecemos a oportunidade.

  • EMEF. Gal. Euclydes de Oliveira Figueiredo

    Direção: Sílvia Martins e Camila Garoli (aivlis.martins@yahoo.com.br e mi.garoli@hotmail.com)

    O grupo de teatro da EMEF Gal. Euclydes de Oliveira Figueiredo começou suas atividades em 2009 quando uma aluna resolveu inscrever a escola para participar do Projeto Conexões. Na ocasião, alguns alunos das sétimas e oitavas séries foram convidados e passaram a compor o grupo. Como a grande maioria dos alunos se formou na oitava série, parecia que o grupo tinha chegado ao fim. Porém, o sucesso do trabalho foi tão grande que, no início de 2010, o grupo tomou força com a inscrição de mais de 30 alunos das sétimas e oitavas séries para participarem do projeto e, assim, dar continuidade ao trabalho. Da formação original, o grupo conta com dois atores.

  • E.E. Dr. Baeta Neves

    Direção: Patrícia ou Maria Isabel de Lucca (paty.jbb@ig.com.br e bellyndona@hotmail.com)

    “O teatro é sempre um desafio. Tenho muita pena do ator que diz que determinado papel tira de letra, porque isso quer dizer que ele vai se repetir. Qualquer que seja o personagem você tem que descobrir as características muito específicas dele para que não fique igual do outro que você fez, porque cada um tem sua característica e sua personalidade”. Paulo Autran

    No ano de 2009, foi criado o grupo teatral da E.E. Dr. Baeta Neves com os objetivos de fomentar o teatro em nossa unidade escolar e estimular o protagonismo juvenil. O primeiro trabalho foi a peça “Mistério na Sala de Ensaio” escrita por Sergio Roveri e dirigida por Daniel Rossi, nosso aluno do Ensino Médio. O sucesso deste primeiro trabalho fez com que atingíssemos os nossos objetivos e nosso alunado conquistou seu espaço dentro e fora da escola. Atualmente, nosso grupo é formado por 20 alunos e com determinação e entusiasmo encara o desafio de montar a peça “Maledicência” da autora Jandira Martini.

  • Cultura Inglesa

    Direção: Alexandre Ogata (alexandreogata@gmail.com)

    O grupo Cultura Inglesa participa do Conexões desde 2007. Do grupo inicial contamos ainda com 4 participantes que fizeram parte das montagens de "Treta no Jardim", "My Face" e "Longe da Vista Chinesa". Para a montagem deste ano contamos com 3 novos integrantes que apesar da pouca experiência teatral chegaram cheios de vontade e empolgação. Esta mesma vontade e empolgação vale para o diretor deste ano. Praticamente todos os integrantes tiveram o primeiro contato com o teatro através do Conexões. 

  • Grupo da Escola Superior de Artes Célia Helena

    Direção: Rafael Masini (rmasini@superig.com.br)

    Constituído por alunos dos primeiros anos dos cursos de bacharelado de teatro e técnico-profissionalizante e pela primeira juntos, os participantes partem para um grande desafio: estabelecer as relações do trabalho em grupo, tanto de ordem afetiva quanto produtiva, para participar da construção e da criação da montagem de Nas alturas, de Lisa Mc Gee, sob a direção de Rafael Masini.

  • Colégio São Luís

    Direção: Tuna Serzedello (antonio.paula@saoluis.org)

    A primeira apresentação de um grupo de teatro formado por alunos do Colégio São Luís foi com sua primeira turma em 1867 e, há 142 anos sempre teve alunos participando de atividades ligadas ao teatro. O Colégio acredita no teatro como importante ferramenta para a formação humana e cultural de crianças e jovens, para tanto realiza Mostras Intercolegias de Teatro anualmente e a cada dois anos participa da Bienal de Arte dos Colégios Jesuítas. O grupo que representa o Colégio São Luís no Conexões é formado por estudantes do Ensino Fundamental e Médio e é parte dos cursos de teatro oferecidos pelo colégio aos alunos.