loading

_grupos

  • Grupo de teatro E POR AÍ VAI...

    Instiuição: Colégio Morumbi Sul
    Direção: Alessandra Marques (bbsan@uol.com.br)

    Desde 2001 o Colégio Morumbi Sul oferece aulas de teatro aos seus alunos. Direcionado pela atriz e arte-educadora Alessandra Marques, o Grupo de Teatro E POR AÍ VAI... reúne-se semanalmente em ensaios com 3 horas de duração. O foco da direção em todos os trabalhos do grupo é valorizar a interpretação de cada ator e atriz. 

    No currículo do Grupo estão os espetáculos “O último carro”, de João das Neves, “Auto da barca do inferno”, de Gil Vicente e “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna entre outros. 

    Em 2008 o Grupo foi sorteado no CONEXÕES e apresentou o espetáculo “REFUGO”. A direção da montagem priorizou focar nos temas ‘lar’, ‘família’ e ‘amizades’ dentre os assuntos abordados no texto de Abi Morgan. REFUGO foi apresentado 14 vezes em diversos locais e eventos, entre eles, Mostras e Festivais Estudantis de Teatro, Clubes e Escolas Públicas. 

  • Cultura Inglesa

    Direção: Ana Paula Dias (analopesdias@hotmail.com)

    A prática do teatro na Cultura Inglesa existe desde 1979, quando estreou o musical Oh! Verona. De lá para cá foram feitos mais de trinta espetáculos entre musicais e peças de autores de língua inglesa sempre em junho e novembro de cada ano. Entre os espetáculos montados pelo grupo estão Hair, Cabaret, Grease, Fame e Saturday Night Fever. Com a direção de Albano Sargaço, o espetáculo Treta no Jardim, do projeto Conexões 2007, foi a primeira experiência do grupo com um texto em português. Em 2008, o grupo foi dirigido por Patrícia Faolli e atualmente está sob a direção de Ana Paula Dias.

  • Grupo de Teatro DEIXA FICAR

    Instiuição: Colégio Albert Einstein
    Direção: Alessandra Marques (bbsan@uol.com.br)

    No ano de 2004, o Colégio Albert Einstein passou a oferecer aos seus alunos de 7º ano ao 3º ano do Ensino Médio, aulas de Teatro. Desde então, a atriz e arte-educadora Alessandra Marques reúne-se com os alunos/atores para um ensaio semanal de 4 a 5 horas. 

    Em 2006, com o objetivo de expandir ainda mais suas atividades, o grupo ganhou um nome escolhido pelos próprios integrantes: “Grupo de Teatro DEIXA FICAR”. O nome surgiu da antiga brincadeira, “Escravos de Jó”, à qual foi criada outra letra para a música: O GRUPO DO EINSTEIN, CHEGOU PRA APRESENTAR, TIRA, PÕE, DEIXA FICAR. ATORES E ATRIZES FAZEM ZIG, ZIG, ZÁ. 

    No currículo do Grupo estão os espetáculos: “O Capeta da Caruaru”, de Aldomar Conrado; “O Resto é Silêncio” e “Viva Elvis”, ambos escritos por Alessandra Marques a partir de Criação Coletiva do Grupo e “O sol está quente e a água está ótima”, de Emilio Boechat. 

    Os espetáculos são apresentados em diversos locais: Mostras Estudantis de Teatro, Associações, Faculdades e Escolas públicas. 

  • Célia Helena Teatro-Escola

    Direção: Rafael Masini (rmasini@superig.com.br)

    Célia Helena Teatro-escola, pioneira no Brasil ao criar um curso de teatro direcionado ao jovem a partir de 14 anos, desde 2007 participa do Projeto Conexões. Para a edição 2009, ao grupo inicialmente constituído por alunos do curso de formação de atores, unem-se novos alunos-atores do curso de Bacharelado em Teatro da Escola Superior de Artes Célia Helena. Juntos, partem para mais um desafio: fortalecer o trabalho e a identidade de um grupo para dar voz e corpo aos personagens desenvolvidos pelo autor inglês Davey Anderson na peça Blecaute, sob a direção do professor Rafael Masini.

  • Colégio Lourenço Castanho

    Direção: Ademir Emboava (ademboava@hotmail.com)

    A área de artes no Lourenço Castanho, existe desde a concepção da escola proporcionando aos alunos mais um instrumento de percepção e aprendizado em sua trajetória. Faz seis anos que Ademir Emboava desenvolve um trabalho teatral na escola com alunos do Ensino Fundamental e Médio. Com o objetivo de despertar o teatro como uma linguagem de trabalho "ativa para se pensar o mundo", sentimos a necessidade de formar um grupo de teatro no Ensino Médio. Em 2008, formamos o "Grupo Lourenço Castanho de Teatro" para desenvolvermos uma linguagem própria e propiciarmos a aproximação dos alunos com teatro como profissão. 

  • Grupo Quereres

    Instiuição: ONG Projeto Arrastão
    Direção: Nelson Vilaronga (nvilaronga@uol.com.br)

    O Grupo Quereres é formado por jovens integrantes do Programa de Formação de Jovens do projeto Arrastão, ONG que atua na Zona Sul de São Paulo, distrito do Campo Limpo. Alguns jovens são remanescentes de oficinas de teatro que o projeto Arrastão desenvolveu a partir de 2004, através do projeto Arquimedes, em parceria com a Secretaria Estadual de Cultura. A partir de 2007, a atual formação do grupo, sob coordenação e direção artística de Nelson Vilaronga (DRT 2097/BA), passou por oficinas permanentes de corpo, voz, improvisação, interpretação, criação de texto e noções gerais de história do teatro. Ao longo de 2007 e 2008, apresentou esquetes e recitais em saraus na organização e comunidade. Em junho de 2008, estreou no Teatro Vivo o espetáculo Sapato Apertado, com texto criado pelo próprio grupo. Um dos diferenciais da montagem de Sapato Apertado é que o cenário e a coreografia foram criados por ex-integrantes do Programa de formação de Jovens do Arrastão, Jonas Soares e Rubens Oliveira, que atualmente atuam profissionalmente em suas áreas. O processo de montagem colocou ainda os jovens em contato com profissionais de música, iluminação, figurino e preparação corporal e vocal, ampliando o repertório do grupo. Sapato Apertado recebeu patrocínio da Vivo e permaneceu por quatro temporadas no Teatro Vivo, até outubro de 2009, sendo vista por mais de 3500 espectadores, em sua maioria estudantes da rede pública de ensino. 

  • Grupos NOVOS OLHARES

    Instiuição: EMEF Gal. Euclydes de Oliveira Figueiredo
    Direção: Sílvia Martins (aivlis.martins@yahoo.com.br)

    O grupo "Novos Olhares" da EMEF Gal. Euclydes de Oliveira Figueiredo nasce na iniciativa da aluna Beatriz P. Nunes ao inscrever a escola no Projeto Conexões. Reconhecendo o valor da atitude desta adolescente, a escola abraça seu sonho e apoia ações positivas como essa e respeita a vontade de participação dos demais adolescentes do grupo. Estes jovens já realizaram montagens teatrais em eventos culturais dentro da escola: "Sarau do Euclydes". Nossos laboratórios teatrais se iniciaram e os alunos dedicam-se de corpo e alma com vontade de irem além na linguagem teatral. As professoras responsáveis, Silvia Martins e Camila Garoli possuem formação em teatro e vivenciaram este trabalho em grupos teatrais amadores. A experiência do grupo é pequena, porém, é imensa a vontade de conhecer mais sobre o universo teatral. 

  • Colégio São Luís

    Direção: Tuna Serzedello (antonio.paula@saoluis.org)

    A primeira apresentação de um grupo de teatro formado por alunos do Colégio São Luís foi com sua primeira turma em 1867 e, há 142 anos sempre teve alunos participando de atividades ligadas ao teatro. O Colégio acredita no teatro como importante ferramenta para a formação humana e cultural de crianças e jovens, para tanto realiza Mostras Intercolegias de Teatro anualmente e a cada dois anos participa da Bienal de Arte dos Colégios Jesuítas. O grupo que representa o Colégio São Luís no Conexões é formado por estudantes do Ensino Fundamental e Médio e é parte dos cursos de teatro oferecidos pelo colégio aos alunos. 

  • Núcleo de Artes Cênicas do Conservatório de Tatuí

    Direção: Carlos Ribeiro (ribecarlos@ig.com.br)

    O grupo é formado por alunos dos cursos de Teatro Juvenil e Adulto do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. A escola, fundada em 1954, mantém cursos de formação musical erudita, popular, luteria (construção de instrumentos de musicais) e teatro. A Á rea de Artes Cênicas, além dos cursos de Teatro Juvenil e Teatro Adulto, promove Oficinas Tecnicas e de Pesquisa de Linguagem, o Projeto Pensando na Criança (de inclusão social) e o Festival Estudantil de Teatro do Estado de São Paulo.O Conservatório de Tatuí é uma Organização Social que gerencia recursos da Secretaria de Estado da Cultura. 

  • Grupo Athenas de Teatro

    Instiuição: Colégio Athenas
    Direção: Sandra Storino

    “Prô, a gente quer mais aulas de Teatro! Uma aulinha só por semana, não dá!” 

    Foi por um pedido assim que surgiu o Grupo Athenas de Teatro há pouco mais de um ano, com alguns gatos pingados do 7º ano mais interessados nas aulas obrigatórias de Teatro do colégio, querendo se unir para criar, produzir, conhecer e se divertir! 

    O que fazer com esses pequenos seres humanos tão grandes de espírito? 

    Ufa, surgiu o Conexões! Ok, será um ótimo incentivo para iniciar um trabalho, mas... Não foi dessa vez... Em 2008, não fomos sorteados, mas isso só serviu para engatarmos a marcha sentido ao amadurecimento. E lá fomos nós! Improvisamos, discutimos, filosofamos, rimos, falamos sobre coisas sérias e nos estabilizamos. Depois de muitos “experimentos”, concluímos nosso ano com o espetáculo de criação coletiva chamado “Os Males da Humanidade”. 

    A edição do Conexões 2009 chegou! Então vamos juntar todas as crenças e que o  melhor aconteça. “Iupiiiiiiiiiiii!!!!!!” Esse foi o grito que dei ao ouvir o nome do grupo no dia do sorteio. 

    E aqui estamos nós! Felizes, felizes e felizes, com alguns novos integrantes de outras séries, mas todos com muita responsabilidade e absolutamente contagiados pelo bichinho do teatro.

    Agora é fazer valer a oportunidade e isso, é com a gente mesmo! 

  • E.E. Johann Gutemberg

    Direção: Luísa Lima

    Este é o segundo ano de atividade do grupo de teatro da E.E Johann Gutenberg. Dirigido pela professora de teatro voluntária da escola, Luisa de Toledo Lima, o grupo conta com alunos do 3º ano do Ensino Médio, que ao serem estimulados pela professora, inscreveram-se no Conexões no ano de 2008, quando apresentaram na mostra Conexões a peça "O Primeiro Vôo de Ícaro" de Luís Alberto de Abreu, foi o primeiro contato do grupo com teatro que se apaixonou pela arte e esse ano continua traçando sua jornada com muito empenho e dedicação. 

  • E.E. Dr. Baeta Neves

    Direção: Patrícia Regiane das Neves

    “Educar é criar espaços para que o jovem possa empreender ele próprio a construção do seu ser, ou seja, a realização de suas potencialidades em termos sociais e pessoais”. (Antônio Carlos Gomes da Costa) 

    Pautada nesta visão de educação, a equipe gestora da E.E. Dr. Baeta Neves, montou neste ano letivo, o grupo teatral desta Unidade Escolar. Cujo objetivo principal é fazer com que nosso jovem possa exercitar as competências de ser e conviver. E logo protagonizar o espetáculo da vida. Nosso grupo é composto por 20 alunos (Ensino Fundamental e Ensino Médio), somente dois participaram de outros grupos teatrais, mas o restante tem estudado muito para que consigam encenar a peça escolhida com eficiência. 

  • Grupo Artemanha

    Direção: Valdirene Rocha

    Composto por 19 jovens da faixa etária de 13 a 22 anos, o Grupo Artemanha é um fruto da crença de que é possível trabalhar valores, cidadania e a realização de sonhos através da arte. O grupo atua há dez anos e tem como repertório peças baseadas em textos literários e temáticas de construção coletiva (Violência, abandono, drogas, gravidez na adolescência, angústias, medos, etc.). Se apresenta periodicamente na comunidade, Empresas, Teatros públicos, CEUs e Escolas Particulares. Realizou duas turnês ao exterior - Alemanha e Portugal em 2002 e 2006, participando de um projeto de integração com outros grupos artísticos europeus. 

    Como últimos trabalhos realizou uma turnê por São Paulo com a peça “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, apresentando também a peça “Pretinha, minha boneca querida...”, que trata de questões raciais e acabou de estrear a peça “Sonho de uma noite de verão”, de William Shakespeare. O repertório é escolhido pelo próprio grupo, que além de ensaiar, ainda ajuda na produção do figurino, cenário e trilha sonora. 

  • Cia. Vizinho Legal

    Direção: Leandro Oliva

    A Companhia de Teatro Vizinho Legal é fruto de um projeto social da empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A., que acontece no bairro Jaguaré, em São Paulo, chamado Projeto Vizinho Legal. Desde 2001 muitos jovens em situação de vulnerabilidade social têm participado das aulas de teatro, dança e música oferecidas pelo projeto. Ao término de 2006, o grupo de teatro ganhou o título de “Companhia de Teatro Vizinho Legal”, com o intuito de aprofundar os conhecimentos destes jovens e ampliar seus horizontes no universo cultural e artístico. Assim, a Cia tem participou com o espetáculo Meio-Fio (resultado do projeto Conexões 2007) e com o espetáculo My Face (Conexões 2008) de mostras teatrais juvenis, festivais, apresentações em escolas públicas, outros projetos sociais, na empresa e na comunidade.