loading

_grupos

  • EMEF. GUILHERME DE ALMEIDA

    Direção: Sandra Maria Romualdo

    O nosso “The Super Uau Group” surgiu do desejo de quebrarmos como educandos e educadores as quatro paredes de uma sala de aula, indo além, na busca de uma consciência do ser participante e em
    movimento.

    Queremos aprender mais... Queremos descobrir... Queremos oportunizar... Há neste espaço criado uma possibilidade a mais, que extrapola, pois na maioria das vezes a sala de aula não propicia uma relação mais pessoal, mais humana entre educandos e educadores como esta o faz. Traduzimos por inclusão, a porta que nos foi aberta, para alguns meninos e meninas que jamais tiveram a oportunidade de entrar em um teatro, agora podem até discutí-lo, pensá-lo e recriá-lo. Quanto ao texto “Na Balada”, de Noemi Marinho, podemos acrescentar que levanta questões de profunda reflexão sobre o status quo da vida das famílias nele representadas. Esta discussão pode vislumbrar, alcançar mudanças nas nossas vidas. Que embora tímidos neste momento inicial... Estamos desejosos de novo, em conhecer o desconhecido e motivados pelo enorme desafio.

  • CULTURA INGLESA

    Direção: Renata Coloni

    A prática do teatro na Cultura Inglesa existe desde 1979, quando estreou o musical Oh! Verona. De lá pra cá foram feitos mais de trinta espetáculos entre musicais e peças de autores de língua inglesa sempre em junho e novembro de cada ano. Entre os espetáculos montados pelo grupo estão Hair, Cabaret, Grease, Fame e Saturday Night Fever. Com a direção de Albano Sargaço, o espetáculo Treta no Jardim, do projeto Conexões 2007, foi a primeira experiência do grupo com um texto em português. Nos anos seguintes, o grupo foi dirigido respectivamente por Patrícia Faolli, Ana Paula Dias, Alexandre Ogata e Daniela Adoni, dentro do projeto Conexões.

  • COLÉGIO LOURENÇO CASTANHO

    Direção: Ademir Emboava (ademboava@hotmail.com)

    A área de artes no Lourenço Castanho, existe desde a concepção da escola proporcionando aos alunos mais um instrumento de percepção e aprendizado em sua trajetória. Faz seis anos que Ademir Emboava desenvolve um trabalho teatral na escola com alunos do Ensino Fundamental e Médio. Com o objetivo de despertar o teatro como uma linguagem de trabalho "ativa para se pensar o mundo", sentimos a necessidade de formar um grupo de teatro no Ensino Médio. Em 2008, formamos o "Grupo Lourenço Castanho de Teatro" para desenvolvermos uma linguagem própria e propiciarmos a aproximação dos alunos com teatro como profissão.

  • NÚCLEO DE ARTES CÊNICAS DO SESI - VILA LEOPOLDINA

    Direção: Vaneide Correia de Castro

    O grupo pertence ao Núcleo de Artes Cênicas do SESI/SP, entidade criada e mantida pela indústria. Este serviço de iniciação teatral foi criado há 21 anos e visa proporcionar o fortalecimento da cidadania, pela prática de atividades artísticas e pelo desenvolvimento do espírito crítico, melhoria de qualidade de vida do industriário e seus dependentes e comunidade em geral. O grupo que atualmente participa do Projeto Conexões, foi formado com o propósito de dedicar-se inteiramente a esta iniciativa que desenvolve dramaturgia para jovens.

    Desde o mês de março de 2008, estão sendo desenvolvidas oficinas teatrais focadas no treino do corpo e espontaneidade corporal, o trabalho em equipe, a liberdade criativa, a autodisciplina e a autoconsciência. Os 12 jovens selecionados para este projeto, seguindo as características do Núcleo de Artes Cênicas do SESI, são provenientes de vários bairros e escolas da cidade, sendo que todos têm em comum o gosto e o respeito pelo fazer teatral e tudo o que ele congrega.

  • COLÉGIO CONSOLATA

    Direção: Ronaldo Pisaneski

    O grupo Incarta´z existe há 10 anos e é atualmente formado por alunos do 9º ano do ensino fundamental à 3ª série do ensino médio, além de ex-alunos do Colégio Consolata, que tem o teatro como um curso extracurricular, com ensaios às terças-feiras. É um grupo que vivencia o fazer teatral, dedicando-se às técnicas de roteiros, construções de textos coletivos e apresentações de peças próprias e de outros autores.

    Outrossim, tem o objetivo de aguçar a sensibilidade, conduzindo à prática da responsabilidade, da atenção, da espontaneidade, da introspecção, da prontidão e da imaginação. Isto possibilita resgatar valores e uma maior relação com o mundo, a fim de torná-los mais perceptivos e receptivos às mudanças. “Atuar é fazer”. “Fazer e acontecer”

  • Grupo de teatro E POR AÍ VAI...

    Instiuição: Colégio Morumbi Sul
    Direção: Alessandra Marques (bbsan@uol.com.br)

    Desde 2001 o Colégio Morumbi Sul oferece aulas de teatro aos seus alunos. Direcionado pela atriz e arte-educadora Alessandra Marques, o Grupo de Teatro E POR AÍ VAI... reúne-se semanalmente em ensaios com 3 horas de duração. O foco da direção em todos os trabalhos do grupo é valorizar a interpretação de cada ator e atriz.

    No currículo do Grupo estão os espetáculos “O último carro”, de João das Neves, “Auto da barca do inferno”, de Gil Vicente e “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna entre outros.

    Em 2008 o Grupo foi sorteado no CONEXÕES e apresentou o espetáculo “REFUGO”. A direção da montagem priorizou focar nos temas ‘lar’, ‘família’ e ‘amizades’ dentre os assuntos abordados no texto de Abi Morgan. REFUGO foi apresentado 14 vezes em diversos locais e eventos, entre eles, Mostras e Festivais Estudantis de Teatro, Clubes e Escolas Públicas.

  • PEQUENO TEATRO DE TORNEADO

    Direção: William Costa Lima

    O grupo surgiu do Projeto Meu Olho-Meu Mundo, que nesses três anos de processos, vem amadurecendo e se firmado através de uma abrangente pesquisa voltada para o que chamamos de "Dramaturgia dos Moleques", e um maduro treinamento para a criança/artista. Treinamento esse, que tem como busca a espontaneidade do movimento corporal e a consciência do poder da palavra encenada. Mais do que montar um exercício e praticar jogos de desinibição, buscamos o entrosamento de um coletivo, ajudando os a se situarem quanto indivíduos colaborativos de um processo artístico.

    Em Maio de 2007, após a
    formação de 80 jovens atores e apresentação de mais de cinco exercícios cênicos: "A Incrível saga de um Povo Astuto", "Das coisas que precisamos para desligarmos a Tv", "Boca Pequena", "Cramância de Gertudes aos que não pronunciam Only you" e "Breve história de amor", o grupo faz sua estréia, desta vez sob o nome de Pequeno Teatro de Torneado do Núcleo Meu Olho-Meu Mundo de Pesquisa Cênica, no centro Cultural São Paulo, com o espetáculo "Menina de Louça". Em março de 2008 o grupo estreia no Festival Internacional de Curitiba, dentro da mostra Fringe, o espetáculo: "Primavera", resultado de um ano e meio de pesquisa sobre a educação no Brasil e a histeria adolescente.

  • COLÉGIO SÃO LUÍS

    Direção: Tuna Serzedello (antonio.paula@saoluis.org)

    A primeira apresentação de um grupo de teatro formado por alunos do Colégio São Luís foi com sua primeira turma em 1867 e, há 142 anos sempre teve alunos participando de atividades ligadas ao teatro. O Colégio acredita no teatro como importante ferramenta para a formação humana e cultural de crianças e jovens, para tanto realiza Mostras Intercolegias de Teatro anualmente e a cada dois anos participa da Bienal de Arte dos Colégios Jesuítas. O grupo que representa o Colégio São Luís no Conexões é formado por estudantes do Ensino Fundamental e Médio e é parte dos cursos de teatro oferecidos pelo colégio aos alunos.

  • MISTÉRIO NA SALA DE ENSAIO

    Instiuição: NÚCLEO DE ARTES CÊNICAS DO CONSERVATÓRIO DE TATUÍ
    Direção: Carlos Ribeiro (ribecarlos@ig.com.br)

    O grupo é formado por alunos dos cursos de Teatro Juvenil e Adulto do Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí. A escola, fundada em 1954, mantém cursos de formação musical erudita, popular, luteria (construção de instrumentos de musicais) e teatro. A Á rea de Artes Cênicas, além dos cursos de Teatro Juvenil e Teatro Adulto, promove Oficinas Tecnicas e de Pesquisa de Linguagem, o Projeto Pensando na Criança (de inclusão social) e o Festival Estudantil de Teatro do Estado de São Paulo.O Conservatório de Tatuí é uma Organização Social que gerencia recursos da Secretaria de Estado da Cultura.

  • E. E. DAVID ZEIGER

    Direção: Lindy Barbosa

    A professora de Educação Artística, Keidi da Silva, reuniu alunos do Ensino Médio da EE. Alberto Salotti para participar do Projeto Conexões. Em 2006, a escola começou a realizar festivais de teatro para instigar nos alunos o gosto pela expressão artística. O colégio fica na região Sul de São Paulo e o grupo conta com 17 integrantes.

  • E. E. JOHANN GUTENBERG

    Direção: Luísa Lima

    Este é o segundo ano de atividade do grupo de teatro da E.E Johann Gutenberg. Dirigido pela professora de teatro voluntária da escola, Luisa de Toledo Lima, o grupo conta com alunos do 3º ano do Ensino Médio, que ao serem estimulados pela professora, inscreveram-se no Conexões no ano de 2008, quando apresentaram na mostra Conexões a peça "O Primeiro Vôo de Ícaro" de Luís Alberto de Abreu, foi o primeiro contato do grupo com teatro que se apaixonou pela arte e esse ano continua traçando sua jornada com muito empenho e dedicação.

  • CÉLIA HELENA TEATRO-ESCOLA

    Direção: Rafael Masini

    Célia Helena Teatro-escola, pioneira no Brasil ao criar um curso de teatro direcionado ao jovem a partir de 14 anos, desde 2007 participa do Projeto Conexões. Para a edição 2009, ao grupo inicialmente constituído por alunos do curso de formação de atores, unem-se novos alunos-atores do curso de Bacharelado em Teatro da Escola Superior de Artes Célia Helena. Juntos, partem para mais um desafio: fortalecer o trabalho e a identidade de um grupo para dar voz e corpo aos personagens desenvolvidos pelo autor inglês Davey Anderson na peça Blecaute, sob a direção do professor Rafael Masini.

  • E. E. ALBERTO SALOTTI

    Direção: Keidi da Silva

    A professora de Educação Artística, Keidi da Silva, reuniu alunos do Ensino Médio da EE. Alberto Salotti para participar do Projeto Conexões. Em 2006, a escola começou a realizar festivais de teatro para instigar nos alunos o gosto pela expressão artística. O colégio fica na região Sul de São Paulo e o grupo conta com 17 integrantes.

  • CIA. VIZINHO LEGAL

    Direção: Leandro Oliva

    A Companhia de Teatro Vizinho Legal é fruto de um projeto social da empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A., que acontece no bairro Jaguaré, em São Paulo, chamado Projeto Vizinho Legal. Desde 2001 muitos jovens em situação de vulnerabilidade social têm participado das aulas de teatro, dança e música oferecidas pelo projeto. Ao término de 2006, o grupo de teatro ganhou o título de “Companhia de Teatro Vizinho Legal”, com o intuito de aprofundar os conhecimentos destes jovens e ampliar seus horizontes no universo cultural e artístico. Assim, a Cia tem participou com o espetáculo Meio-Fio (resultado do projeto Conexões 2007) e com o espetáculo My Face (Conexões 2008) de mostras teatrais juvenis, festivais, apresentações em escolas públicas, outros projetos sociais, na empresa e na comunidade.

  • CIA. PAIDÉIA

    Direção: Amauri Falseti

    A Companhia Paidéia de Teatro é originária do Grupo de Teatro Monte Azul, criado em 1987, na Favela Monte Azul, zona sul de São Paulo, e é um dos núcleos da Paidéia Associação Cultural, fundada em 1998, por Amauri Falseti e Aglaia Pusch. Ambos estão há mais de 25 anos envolvidos com a formação de jovens atores e com o debate sobre a questão cultural no trabalho social.

    A Companhia foi contemplada três vezes pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo. Desde sua criação, a Cia. Paidéia de Teatro busca, por meio do fazer teatral, desencadear ações eficazes e dinâmicas capazes de despertar e envolver principalmente a comunidade de jovens e crianças em processos culturais diferenciados nos quais tanto a criação e a discussão como a imaginação e a “fantasia” estejam presentes e contribuam na construção destas ações e de instrumentos para a transformação da sua realidade.

  • Cia. TeCA

    Instiuição: Colégio Amorim
    Direção: Rogério Troiani

    A Companhia de Teatro do Colégio Amorim - Cia.TeCA deu inicio as suas atividades no ano de 2006 com o objetivo incentivar a prática teatral como instrumento de auxílio à educação e desta forma integrar os alunos das duas unidades da Instituição de Ensino Colégio Amorim.

    Com 6 anos a Cia de Teatro do Colégio Amorim montou mais de 15 espetáculos e já participou de projetos culturais como Conexões e de festivais competitivos como a Mostra Sesi Sorocaba de teatro estudantil.