loading

_autores

  • Bosco Brasil

    Formado pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, ECA/USP, é um dos mais importantes dramaturgos brasileiros contemporâneos. Iniciou sua trajetória em 1977, desde então, atua intensamente no teatro. Tem peças essenciais no currículo, como a premiada “Novas diretrizes em tempos de paz”, que levou o prêmio Shell 2002 nas categorias melhor texto (Bosco Brasil), ator (Tony Ramos e Dan Stulbach) e iluminação (Gianni Ratto).

  • Sérgio Roveri

    É jornalista e dramaturgo. Formado pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), ele trabalhou na Editora Abril e no Jornal da Tarde, do grupo O Estado de S. Paulo, onde foi repórter, redator e editor de Variedades. Autor de inúmeras peças, como O Encontro das Águas (direção de Alberto Guzik); Abre as Asas Sobre Nós (direção de Luiz Valcazaras), texto que lhe valeu o Prêmio Shell de Melhor Autor, em 2006; Andaime (direção de Elias Andreato); O Dia das Crianças, primeiro texto infantil encenado pelo grupo Satyros; Cidadão de Papel, adaptação para o teatro do livro homônimo do jornalista Gilberto Dimenstein; e A Coleira de Bóris, com o qual recebeu sua segunda indicação ao Prêmio Shell. Atualmente, escreve sobre teatro para o jornal Diário do Comércio, de São Paulo, Revista Bravo! e revista Época São Paulo.

  • Gilberto Dimenstein

    Formado na Faculdade Cásper Líbero, é membro do Conselho Editorial da Folha e criador da ONG Cidade Escola Aprendiz. Coordena o site de jornalismo comunitário da Folha. Escreve para a Folha Online às segundas-feiras. Trabalhou também no Jornal do Brasil, Correio Braziliense, Última Hora, revista Visão e Veja. É escritor. Um dos seus livros mais conhecidos, ”Cidadão de Papel”, vencedor do Prêmio Jabuti, em 1993, foi adaptado para teatro por Sérgio Roveri. Por suas reportagens sobre temas sociais e suas experiências em projetos educacionais, Gilberto Dimenstein foi apontado pela revista Época em 2007 como umas das cem figuras mais influentes do país.

  • Davey Anderson

    É escritor , diretor de teatro e diretor residente do National Theatre da Escócia desde 2006. Nascido em Glasgow, sua última peça - "Liar" - comissionada pelo TAG Theatre Company numa co-produção com Sounds of Progress foi apresentada no Citizens Theatre em Glasgow, em 2008. Outras peças de Davey são "Wired", apresentada em Glasgow em 2005 e em Londres em 2007 e nomeada a melhor peça pelo Critics' Award para Teatro da Escócia em 2006; "Rupture", escrita e dirigida em colaboração com atores e um time criativo.

    Como diretor associado da multi premiada produção "Black Watch" (2006), Davey fez arranjos originais para músicas tradicionais ganhando nomeação para Melhor Uso de Música pelo Critics' Awards do Teatro da Escócia em 2007. Seu trabalho como diretor musical inclui "Cinderella", "The Lion, the witch and the wardrobe", "Weans in the Wood" e "Oresteia".

  • Christopher William Hill

    Estudou Teatro  na University of Kent, onde se especializou em direção teatral. Desde então, tem trabalhado como escritor, ator, diretor e editor de script para Bedlam Theatre Company de Cornwall, onde também dirigiu duas vezes. Suas peças incluem "Tenth From The End", "Stealing The Smile", "Lam", "Blood Red", "Saffron Yellow"; "Song Of The Western Men", "Icons", "Multiplex" e "The Jonah Lie". Christopher trabalha atualmente para o Plymouth Theatre Royal,  Northcott Theatre, Bedlam Theatre Company de Cornwall, Chelsea Theatre, Unicorn Theatre for Children e Stephen Joseph Theatre.